23 novembro, 2011

LULLA


O ministro chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta segunda-feira (21) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratamento de câncer, está bem humorado, brinca sobre futebol e já fala em participar de comícios. "Começou agora a sessão de químio. Gostei muito de vê-lo. Saio daqui muito animado. Porque a gente sabe que nesse tipo de enfermidade, a cabeça e o espírito contam muito. Ele está inteiro, confiante, doido para voltar aos comícios. Falou de novo que espera em fevereiro já fazer um 'companheiros e companheiras'. Com essa energia do povo brasileiro, se Deus quiser, ele vai se dar bem", disse o ministro Gilberto Carvalho na portaria do hospital.

BALANÇANDO

Dividido, o PDT fez uma reunião ontem (22), às 19h, para definir se o partido apoia ou não a permanência do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, à frente da pasta. Presidentes dos diretórios, além das bancadas do PDT na Câmara e no Senado estarão presentes ao encontro, que ocorrerá na sede do partido, em Brasília. O líder do PDT na Câmara, deputado Giovanni Queiroz (PA), afirmou que, ao fim da reunião, deveria ser divulgada uma nota de apoio ao ministro ou a favor da saída dele do cargo. "Pode haver uma nota do partido de apoio ou não ao Lupi. Vamos fazer uma avaliação da conjuntura da situação".

ONG’S

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta terça-feira (22) que o governo não vai recuar “nenhum milímetro” na relação com entidades civis, alvo de denúncias de desvio de dinheiro público por meio de ministérios. "Quero reafirmar a posição do governo da presidenta Dilma de total apoio, de nenhum milímetro de recuo. Pelo contrário, de um desejo de aprofundamento dessa fecunda relação governo-sociedade civil, [Há uma] tentativa generalizada de criminalização a partir de erros de alguma das entidades ou de alguns atores que tentaram se aproveitar das entidades para praticar ilícitos", disse Gilberto Carvalho.

UTILIDADE PÚBLICA

O programa humorísticoCQC (Custe o Que Custar), da rede Bandeirantes de Televisão, está com um quadro visando às eleições do ano que vem. O programa vai a algumas Casas legislativas pelo País e pergunta aos nobres edis sobre o número absurdo de faltas, por exemplo. Claro que as desculpas são as mais esfarrapadas possíveis. O eleitor deve ficar atento, pois, ano que vem, é hora de dar a chance para alguém nos representar na Câmara de maneira digna.

POSTO DE SAÚDE

É um assunto que tem dado o que falar nas rodinhas de conversa aqui de Ponta Porã. A Câmara fez uma audiência publica para discutir o assunto. Ao que tudo indica, o Posto de Saúde Central terá a sua capacidade de atendimento redistribuída na rede de Saúde Municipal. Os vereadores, com algumas exceções, dizem que são contra a mudança do local atual de atendimento. Só para lembrar, o mesmo prédio da Câmara, já abrigou treze vereadores.

RAMÃO DE DEUS

Semana passada mantive uma longa conversa com o Presidente da Câmara Municipal, vereador Ramão de Deus. Em uma coisa concordamos, sua gestão foi bastante light, mas isto é a marca do Ramãozinho. Ele procura se dar bem com todo mundo e não foge das perguntas que lhe são direcionadas. Ficou a promessa de uma entrevista. De maneira que estamos aceitando sugestões através do Email. Não precisa se identificar, mas, por favor, vamos fazer perguntas pertinentes, ok?

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especialao Paulo Fabiano, um jovem trabalhador, tipo “marido de aluguel” que presta vários serviços de manutenção a domicilio. O rapaz faz sua própria propaganda através da camiseta que usa pilotando sua moto pela cidade. Em meio a tanta gente “à toa” que anda por ai, o Paulo Fabiano faz a diferença. Parabéns à aniversariante do último dia 21/11, minha amiga Dra. Júlia Aparecida de Lima. Obrigada. Semana que vem tem mais.

16 novembro, 2011

FALANDO SÉRIO

MAIS UM


Reportagem publicada neste fim de semana pela revista “Veja” relata uma série de viagens pelo Maranhão do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, em 2009 que teriam sido feitas em avião alugado por um responsável por ONGs que receberam posteriormente verbas de convênios com a pasta. Em depoimento na Câmara nesta semana, Lupi negou relação e viagem com Adair Meira, controlador das entidades.

Carlos Lupi afirmou que esteve no Maranhão para “agendas oficiais e partidárias” e que seu transporte de Brasília a São Luís ocorreu em um voo regular. O ministério divulgou, inclusive, uma cópia do bilhete. Na nota, Lupi diz ainda que dentro do Maranhão foram utilizados veículos de filiados e aviões pequenos de responsabilidade do diretório regional do PDT do Maranhão. “A medida foi tomada para evitar que dinheiro público fosse utilizado nesta agenda”.

MOKA

A bancada do PMDB no Senado vai indicar o senador Waldemir Moka (MS) para ocupar o cargo de segundo-vice-presidente da Casa. Moka foi indicado para lugar de Wilson Santiago (PB), que deixou o cargo por determinação judicial para a posse de Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). "O líder [Calheiros] me comunicou que eu seria o indicado. Não estou reivindicando cargos, mas se eu puder ajudar junto à Mesa em nome do meu partido vou ficar muito satisfeito", disse Moka.

LEI SECA

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux convocou para o primeiro semestre de 2012 audiências públicas que vão discutir a Lei Seca, que proíbe a venda de bebidas alcoólicas às margens ou em terrenos de acesso direto a rodovias federais. Fux é relator de uma ação em que a norma é contestada pela Associação Brasileira de Restaurantes e Empresas de Entretenimento (Abrasel). “Há inúmeros estudos e pesquisas acerca dos efeitos da incidência de uma legislação mais rigorosa a quem conduz alcoolizado um veículo, mormente quando o objetivo da norma é a redução de acidentes em rodovias”, disse o ministro.

FÁBIO TRAD

Na próxima quinta-feira, o TJ/MS (Tribunal de Justiça) será sede de uma Conferência Estadual da Comissão Especial do Código de Processo Civil, da Câmara dos Deputados. Presidente da comissão especial do novo código, o deputado federal Fábio Trad (PMDB-MS) irá coordenar o evento. Ele é ex-presidente da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso do Sul). Serão palestrantes debatedores: Arruda Alvim, professor da PUC/SP; Paulo Henrique dos Santos Lucon, professor da USP; Dorival Renato Pavan, desembargador do TJMS; Sérgio Muritiba, advogado; e Luiz Henrique Volpe Camargo, professor da UCDB.

POSTO DE SAÚDE

A mudança do posto de Saúde do centro da cidade está dando o que falar. Alguns vereadores acharam por bem posicionar-se favoravelmente, porém, a vereadora Lourdes Monteiro bem que tentou obter maiores detalhes, porém, foi voto vencido. Independente de posicionamento político, a questão a avaliar seria anecessidade de realmente aumentar o número de vereadores, mas isto já é assunto superado. Ao que parece o maior prejudicado seria o povo, mesmo que o novo espaço para o posto seja maior e mais novo. Seja como for os novos edis necessitarão de espaço para trabalhar. Eu disse TRABALHAR.

FRONTEIRA

Aparentemente, temos vivido certo clima de segurança aqui em Ponta Porã. Por onde se anda, vemos viaturas da Polícia Militar, Força Nacional e até da Polícia Civil. Existe um patrulhamento ostensivo e preventivo nas ruas da Cidade. Para quem anda com a documentação em ordem, não há problema algum. Já para quem insiste em andar irregular, é questão de tempo até ser tirado de circulação.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial ao Fabio Ananias Duarte, aniversariante do dia 17; Fabiano Goldoni, que troca de idade no dia 18. Obrigada. Semana que vem tem mais.

Colaboração: Pedro Zadyr

Comente esta coluna na internet através do blog: http://www.faloserio.blogspot.com, do www.mercosulnews.com, do www.noticiasdeponta.com e www.diariopora.com.brEmail: elizjpp@hotmail.com

15 novembro, 2011

O JUIZ E O PANGARÉ

Artigo de Luiz Carlos Saldanha*
Dia desses estava na fila do um banco e ouvia a conversa de dois advogados. Um deles expressava o seu descontentamento com uma certa magistrada lotada numa comarca do interior, sob a alegação de que, além de não receber os advogados para despachar medidas urgentes, também não tinha o hábito de decidir os feitos a seu cargo. O outro advogado, concordando com seu colega sobre as dificuldades de conseguir uma decisão com a dita juíza, acrescentava: “e ainda instalou na comarca um centro de conciliação que é justamente para não enfrentar os processos que estão embolorando nas prateleiras de seu cartório.” Pensei em interpelar aqueles advogados para saber de quem se tratava, mas logo chegou a minha vez de ser atendido e isso não foi possível.

Já estava para sair do fórum quando fui abordado por um velho e conhecido advogado, o qual veio em minha direção e já foi descarregando: “doutor Saldanha, naquele tempo em que o senhor era escrivão, os juízes respeitavam mais os advogados, decidiam os processos com mais rapidez e sempre recebiam os advogados para despachar aquilo que era urgente. Hoje está tudo diferente. Aqui em Campo Grande, tem juiz que não despacha, não decide e ainda não recebe os advogados nem mesmo para ouvir os seus reclamos.” Tentei sair daquela incômoda situação, quando ele me pegou pelo braço e foi acrescentando: “O senhor lembra do doutor Athayde Nery de Freitas, o pai do doutor Adilson Viegas que no nosso meio é conhecido como “capacete” e, também, pai daquele “guerrilheiro”, o vereador Athaydinho?” É claro que lembro doutor - respondi eu na esperança de que ele soltasse logo do meu braço. Ledo engano, porque ele emendando a “galopera” (polca paraguaia que quase não tem fim) e foi dizendo: “o senhor lembra do doutor Milton Malulei, do doutor Rui Garcia Dias, do doutor José Nunes da Cunha, do doutor Assis Pereira da Rosa, do doutor Nildo de Carvalho, do doutor Amilcar Silva, do doutor Manoel Veludo Teixeira, do doutor Wolney de Oliveira e o senhor lembra, também, do doutor Sydney Nunes Leite, aquele que tinha uma memória fotográfica?” Respondo: “ Claro que eu lembro doutor e agora, por favor, solte o meu braço que eu tenho um cliente me esperando no escritório”. Ao soltar o meu braço, conclui o seu reclamo dizendo: “aqueles é que eram verdadeiros juízes, não tinham medo de falar com advogados, despachavam e decidiam os processos “num piscar de olhos” e ainda tinham tempo de tomar um cafezinho na cantina da dona Dina no fórum da 26 de agosto.”

Resolvi então perder um pouco mais de tempo para esclarecer ao velho advogado que as coisas tinham mudado. A demanda de processos daquele tempo não chegava a 10% do que é hoje.

Por outro lado, os juízes que o senhor citou, todos do tempo em que o fórum ficava na Rua 26 de Agosto, como aliás, o senhor já disse, quando ingressaram na magistratura eram advogados experientes e portanto não tinham grandes dificuldades para se adaptar no exercício da magistratura. Hoje doutor, a magistratura é composta de jovens que, obviamente, em que pese serem bem preparados, demoram um pouco mais para amadurecer na profissão, mas é certo que nem por isso, deixam de ser excelentes magistrados e eu não tenho notícia de nenhum que se negue a receber advogados em seu gabinete, isto para despachar quando o caso for efetivamente urgente. Ao contrário, tenho ouvido falar de muitos abusos praticados por advogados mal preparados para o exercício da profissão e é até possível que esses abusos e em alguns casos, inclusive até com desvio da conduta ética profissional, estejam fazendo com que, alguns Juízes se afastem dos advogados, digamos assim, em legítima defesa. Dito isso, fui saindo e o velho advogado ainda continuava na sua tese: “o senhor está defendendo os juízes porque o senhor foi um deles.” Dei meia volta e já tinha no pensamento que “a melhor defesa é sempre o ataque”, mas respirei fundo e ao invés de atacar, apenas perguntei:- o senhor sabia que no Tribunal de Justiça funciona a Ouvidoria do Judiciário que é exercida por um desembargador e que está preparada para receber as reclamações, não só dos advogados, mas também de qualquer pessoa, contra abusos de Juízes e servidores? É claro que eu sei, respondeu o advogado, mas não funciona, porque quando a gente faz uma reclamação, pedem informações e mandam o nome do advogado para o reclamado e aí a coisa fica pior. Dia desses reclamei contra um Juiz que não decide processo nem com “mandinga” e o resultado foi desastroso, porque ele ao saber da reclamação, passou a me hostilizar nas audiências. Eu já estava irritado com aquele advogado e quando eu comecei a falar sobre o Conselho Nacional de Justiça, apareceu ali um salvador da pátria que tinha ouvido uma parte da conversa e vendo o desconforto que eu estava passando, pôs a mão no meu ombro e juntos fomos saindo. Já na frente de meu escritório, no edifício Trade Center, paramos para nos despedir e ele me disse: “não queria me meter, doutor Saldanha, mas o colega que estava lhe interpelando lá dentro do fórum, tem parcela de razão.” – Como assim doutor? O senhor sabe que eu sou da região de Paranaíba e lá naquelas bandas tinha um Juiz que não recebia os advogados nem mesmo com “catiça de gato”.

Foi ai que me veio à mente a história que me contou o meu amigo Sabá, um oficial de justiça lá da Comarca de Nova Andradina, envolvendo um juiz que também não recebia, não falava e nem olhava para os advogados. Se a história é verdadeira, não sei, mas lá vai ela:

Nova Andradina foi a minha primeira Comarca. Ali tive oportunidade de conhecer juízes, advogados, promotores e serventuários extraordinários. Foram eles que me ajudaram nos primeiros passos na magistratura.

Durante o dia, o trabalho era o meu entretenimento e durante a noite, as histórias que me contava o Sabá, um lendário oficial de justiça. Certa noite, pedi a ele que me contasse aquela história do juiz que não recebia os advogados para despachar, nem com “reza brava”.

Meu amigo Sabá deu um largo sorriso e eu percebi então que essa era a sua história preferida. Foi logo tomando uma Providência (nome de uma pinga cuja garrafa estava ao lado de sua cadeira) e daí foi contando que: Certo Juiz que havia passado pela Comarca, não recebia advogados, não falava e nem olhava para os mesmos. Os advogados então passaram, também, a tomar providência, mas não daquela, cuja garrafa estava ao seu lado. Reclamavam, faziam abaixo assinado, faziam representação na corregedoria e nada, a postura no magistrado era sempre a mesma. Assim foi até que um certo corregedor, ao passar pela comarca, reunindo-se com os advogados, tomou conhecimento daquele fato, e procurou o magistrado para resolver o problema. – “o senhor tem que atender aos advogados, quando a medida for urgente. O advogado tem o direito de despachar diretamente, independentemente de hora marcada. O senhor tem que rever a sua posição e revogar a portaria.” O Juiz replicava: “mas corregedor, se eu abrir a guarda para esses advogados, não vou poder trabalhar, vai ser um entra e sai de advogados na minha sala, isto porque, cada um deles acha que o seu processo é mais urgente e é por isso que eu não recebo, não falo e nem olho para eles”. O Corregedor então sentenciou: “despachar diretamente com o juiz é direito consagrado na lei e isso o senhor tem que permitir, sob pena de responder a processo administrativo. Agora, falar e olhar para o advogado é questão de urbanismo e educação o que pode ser relevado.” O Juiz então, sem revogar a portaria, passou a permitir que os advogados, em casos de urgência, adentrassem a sua sala para despachar diretamente com ele. Todavia, lembrando as palavras do Corregedor, não falava e nem olhava para o advogado.

Passado algum tempo e como a situação persistia, os advogados se reuniram na casa do mais antigo e ali, um deles teve a brilhante ideia de fazer um cartaz com os dizeres: “sou advogado, quero despachar diretamente com Vossa Excelência”, pregar num “pangaré” que vivia adentrado nos corredores da repartição e empurrar o bicho para dentro da sala do magistrado. Planejado o embate e preparado o ataque, partiram para a sua execução. Todos os advogados tinham assinado um pacto de solidariedade, nenhum podia recuar. Tinha que ser “um por todos e todos por um” tal qual no filme Os Três Mosqueteiros.

Na hora combinada lá estavam todos os advogados da comarca e dos arredores. Já era final de expediente, por volta das 17 horas, cavalo preparado, cartazes pregados com vários dizeres, tais como: “um olhar não ofende”, outro dizendo: “ trate os advogados com urbanidade e respeito e exija reciprocidade” e bem na testa do pobre do pangaré, um com os dizeres: “sou advogado, olhe para mim, fale comigo, não seja mal educado”. O matungo foi empurrado para dentro da sala e quando o Juiz menos esperava, o cavalo foi entrando parando bem na frente da mesa do magistrado. O Juiz percebendo que alguém tinha entrado na sua sala, imaginando que se tratasse de um advogado, sem levantar a cabeça, dizia: “ pode falar, doutor.” Como o bicho não falava nada, apenas balançava a cabeça, fazendo barulho com os cartazes que trazia pregado na sua cabeça e pelo corpo inteiro. Novamente o magistrado sem levantar a cabeça e já meio irritado, dizia: “fale advogado, qual é o seu problema, tem alguma petição urgente para despachar?” E nada do cavalo falar. Foi quando o pobre do cavalo, sem poder enxergar direito, em face dos cartazes que trazia pregado na cabeça, derrubou um copo que estava sobre a mesa, derramando a água no processo que o juiz examinava naquele momento. O Juiz então erguendo a cabeça, viu o velho pangaré com os cartazes e assustado começou a gritar: “socorro, tirem esse bicho daqui”. O cavalo, com os gritos do magistrado, se assustou, escorregou no assoalho de madeira e foi por cima da mesa, fazendo com que a mesma empurrasse o magistrado que não parava de gritar, contra a parede. Foi aí que todos os advogados da comarca adentraram e o mais antigo então perguntou: “Vossa Excelência pode falar com os advogados da comarca? O Juiz tomado de pavor respondeu: “Está revogada aquela portaria, daqui pra frente vou falar, vou olhar e receber todos vocês em qualquer dia, em qualquer lugar e sem hora marcada, mas tirem esse bicho daqui, pelo amor de Deus.”

Entregaram ao Juiz uma cópia da Lei 4.215 de 1.963, onde os artigos 68 e 69 estavam sublinhados, com os dizeres:
“No seu ministério privado, o advogado presta serviço público, constituindo, com os juízes e membros do Ministério Público, elemento indispensável à administração da justiça.”


“Entre os juízes, de qualquer instância, e os advogados, não há hierarquia, nem subordinação, devendo-se todos consideração e respeito recíprocos.”


O tempo passou e aquele magistrado que era arrogante e se achava melhor do que todo mundo, que não recebia, não falava e nem olha para os advogados, passou a ser um homem respeitador. Foi respeitado e admirado pela classe jurídica, tanto que, quando deixou aquela Comarca, promovido por merecimento, recebeu dos advogados uma placa com os seguintes dizeres: “NOBRE MAGISTRADO: RECEBA ESTA COMENDA COMO FORMA DE AGRADECIMENTO PELO CARINHO, RESPEITO E PELA FORMA HUMANA COMO SEMPRE TRATOU OS ADVOGADOS DESTA COMARCA.”

Moral da história: Muitas vezes é preciso um pangaré para amansar uma fera.

Se na sua comarca existir um juiz que não recebe o advogado para despachar medidas urgentes, coisa que eu duvido, procure a Ouvidoria do Judiciário e depois o CNJ e se ainda assim persistirem os sintomas, então faça como os advogados de Nova Andradina, procurem um pangaré e...

* Juiz de Direito Aposentado e Advogado Criminalista.

09 novembro, 2011

Dilma até quando?

ATÉ QUANDO?


A presidente Dilma vai invocar a presunção de inocência para seus ministros corruptos? Prevendo a queda inevitável de Carlos Lupi seus colegas tentam protegê-lo de todas as formas. Ou a Dilma começa escolher melhor os seus ministros ou está se preparando para entrar no Guines Book como a presidente que mais demitiu ministros corruptos e por isso nomeia tanta gente avessa à honestidade.

O PEIXE MORRE PELA BOCA

Nunca aceitei as bravatas do Lulla, quando dizia implicitamente que o Brasil só passou a existir depois que ele assumiu a presidência da republica. Falando sério, quando não se atura alguém que fala pelos cotovelos em rede nacional, basta desligar a televisão. Porém, neste momento difícil para ele, há um grande debate nacional acerca do tratamento de câncer no Hospital Sírio-libanês em São Paulo. Está mais do que evidente que ele não se tratará pelo SUS, porque tem dinheiro para pagar um tratamento particular.

MAS DAÍ

Os que defendem que o ex-presidente deve fazer seu tratamento pelo SUS nas paginas de relacionamento social e na internet, evidentemente estão desejando o mal ao Lulla, pois, é público e notório que o sistema de saúde é precário. Os que protestam pela forma preconceituosa e punitiva como estão tratando o ex-presidente defendem não só o doente como também o Sistema Único de Saúde.

VERDADE SEJA DITA

Mas definitivamente não dá para esquecer a maneira como o ex-presidente se serviu politicamente da saúde pública, chegada a dizer que nunca na história deste País o SUS se aproximou tanto da “perfeição”. Quando inaugurou o UPA em Recife, disse que as instalações eram tão boas que dava até vontade de ficar doente para utilizá-las, e não é que ficou doente naquele dia mesmo e foi atendido em um hospital privado naquela capital?

Como todo brasileiro “bem de vida” o ex-presidente tem todo o direito de se tratar no melhor hospital que seu dinheiro pode pagar, o que ele não pode é afirmar que o brasileiro conta com o melhor serviço de saúde existente no mundo, por que isso não é verdade. Desejo fortemente que ele seja curado e possa então, se redimir das bravatas.

ARAL MOREIRA

O município de Aral Moreira está investindo pesado na área da saúde. Segundo o secretário de Fazenda, Lineu Márcio Fritsche o percentual investido na pasta da saúde chega a 26%, portanto bem mais que os 11% exigidos por Lei. Márcio afirmou que o município, na gestão do prefeito Edson Luiz Davi – PTB – tem feito todo o possível para garantir atendimento aos necessitados. Além de investimentos pontuais na pasta, o município conta com médicos especialistas que atendem uma vez por semana na Cidade.

ANTONIO JOÃO

A prefeita de Antônio João, Lúcia Regina da Cruz Butkevicius – PMDB – está conseguindo colocar a “casa em ordem”. Quando assumiu a prefeitura, encontrou algumas obras importantes para o município paralisadas, quase sempre por algum detalhe técnico. Não pensou duas vezes, colocou a equipe em campo e logo deverá entregar a iluminação da entrada da Cidade. Outra obra importante para a “Terra de Heróis”, que será inaugurada em pouco tempo é a conclusão da obra do CRAS – Centro de Referencia de Assistência Social. Lúcia Regina tem feito uma gestão integrada com a comunidade. Muito bom.

COMOÇÃO

O cruel assassinato do repórter cinematográfico, Gelson Domingos, (TV Bandeirantes) no último dia 06, numa operação do BOPE, causou comoção geral. O momento de sua morte foi por ele mesmo registrado. O que causa estarrecimento é a extrema violência pela qual estamos passando, sobretudo no estado do Rio de Janeiro. No ano que vem teremos eleições, por isso prestem muita atenção no trabalho que os políticos estão fazendo no sentido de melhorar essa dramática situação, pois sem qualquer blasfêmia, chego a pensar que Jesus Cristo poderá declinar de um possível retorno ao planeta. Que Deus proteja a todos nós.

28 outubro, 2011

Você conhece o “Portunhol Selvagem” ?

Você morando na fronteira, na certa ou fala um pouco de espanhol e/ou entende alguma coisa Guarani, ou ao menos deveria. Em uma terra de fronteira invisível, nosso idioma, o português, se fundiu com o espanhol e guarani, criando uma linguagem única e diferenciada, para o lugar diferenciado em que vivemos. A fronteira! Nossa cultura ambígua, dia a dia tem se mostrado mais forte e rica, seja na música ou na poesia. Foi nesse ambiente de cultura impar, que o poeta e escritor, Douglas Diegues, nos presenteou com a criação de um idioma híbrido e libertário, ao qual nomeou como, Portunhol Selvagem. Para seu criador, o portunhol selvagem não é uma língua. Muito menos um movimento. Enquanto o português é forçado a um acordo ultramarino de padronização, o portunhol selvagem surge como uma opção de liberdade. “O portunhol selvagem é free !”. O Portunhol Selvagem transgride os limites estabelecidos pelas “academias linguísticas” com uma literatura baseada no indomável, que utiliza o espanhol, o guarani e o português, mas que tem espaço para palavras em qualquer idioma. Carioca de nascimento, mas fronteiriço de coração, Douglas, já traduziu vários livros para o portunhol selvagem, inclusive o clássico O corvo, de Edgar Allan Poe. Ele mesmo já publicou Da gusto andar desnudo por estas selvas (2003), Uma flor (2005), Rocio (2007), El astronauta paraguayo (2007), La camaleoa (2008), DD Erotikon &; Salbaje (2009) e Sonetokuera en Alemán, Portuniol Salvaje y Guarani (2009). Inspirado em Manoel de Barros – de quem é amigo pessoal – e inspirador de escritores como Xico Sá, ele e seu portunhol selvagem são um abrigo seguro para o modo de falar que vem das ruas e que dispensa dicionários. Podendo ser classificado como politicamente incorreto, para os puristas, o portunhol selvagem é a cara da fronteira. Pois como o próprio criador cita, é uma linguagem falada e escrita, mas não é um idioma. O portunhol selvagem é o puro retrato da fronteira, e ainda que não tenha conhecimento deste fato, você lida com ele diariamente e diretamente. O modismo e a grande mídia, muitas vezes nos vendam da importância de nossa verdadeira origem. É mais que necessário que o povo fronteiriço, saiba a importância histórica que nossa região representa, para o nosso estado, país e continente. Muitas vezes nossos artistas, são incompreendidos, e deixados de lado. Quando deveriam ser referência de conhecimento para a fronteira. Ponta Porã é o coração da América do Sul, e recebe influências diretas de todo continente. O portunhol selvagem é uma prova disto. Sejamos mais Latinos, e menos americanos. Viva el portunhol selvagem, e nuestra city, la princesita de los herbais. Não entedeu? É portunhol selvagem. 


João Caetano, músico/compositor
, líder da banda Surfistas de Trem,
 formando em Economia e colaborador do JR. 

Comente, critique, opine !!!
Não se cale, pois quem cala consente.

27 outubro, 2011

MAIS UM


A dor de cabeça com a suposta corrupção nos ministérios da presidente Dilma Rousseff parece não ter fim. O ministro Orlando Silva determinou a criação de uma Comissão de Sindicância para apurar responsabilidades por supostas irregularidades administrativas apontadas por reportagem publicada na edição deste final de semana da revista "Veja". A revista reproduziu trechos de diálogos entre assessores do ministério e o policial João Dias Ferreira, que acusou o ministro de envolvimento em um suposto esquema de desvio de verbas na pasta. Ferreira teria obtido auxílio de funcionários da pasta para "enganar" a fiscalização sobre convênios assinados com suas ONGs.

Já a presidente, disse em entrevista que por enquanto o ministro Orlando Silva está firme e forte. Até quando? Faz um pergunta mais fácil.

PRESENTE

O Governo de Mato Grosso do Sul estuda antecipar o pagamento de outubro dos servidores estaduais para o próximo fim de semana. Perguntado sobre o assunto, ontem de manhã, o governador André Puccinelli (PMDB) afirmou que já tratou do assunto com a Secretaria de Fazenda e que está verificando com o Banco do Brasil como será feita a antecipação. A afirmação foi feita em solenidade no Hospital Regional. Normalmente, o Governo paga os salários no primeiro dia útil do mês e, quando a data cai no fim de semana, costuma antecipar o pagamento.

Em novembro, o primeiro dia útil será terça-feira, que vai ser ponto facultativo, como parte do feriadão, que inclui o dia 31, em comemoração ao dia do servidor, o dia primeiro e o dia 2, que é feriado de Finados.

PT

Ao que parece, o partido da estrela já tem um nome para tentar suceder o prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad: Vander Loubet. Na reunião do partido na ultima segunda-feira, ele teve o nome confirmado. Segundo o presidente do partido, Marcus Garcia, Vander Loubet é um consenso entre as correntes petistas, principalmente entre a corrente Zeca e a do senador Delcídio. Até a próxima faísca, fica tudo bem no PT.

EMBATE

Até poucos dias atrás se falava em união do PMDB na capital do Estado. Mas um projeto de Lei do deputado Marquinhos Trad, está tirando o sono do governador André Puccinelli. Trata-se do projeto que autoriza o aumento do desconto e dilata o prazo para pagamento. O governador já sinalizou que vetará o projeto caso passe pela Assembleia. Vamos aguardar para ver quem leva a melhor neste embate.

ITAMARTI

A campanha de reeleição do professor José Carlos de Brito e Sandra Gomes da Silva, para os cargos de diretor e diretora adjunta da Escola Estadual Nova Itamarati, está dando o que falar. Por meio de uma carta apócrifa, insatisfeitos fizeram várias denúncias, algumas delas de enorme gravidade. Vale lembrar que aqueles que não admitem a derrota nas urnas, possuem mecanismos certos para contestar. O que não pode é ficar se escondendo atrás de cartinhas.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial ao Secretário de Governo Leonardo Derzi, Ilda Saldanha e Nuno Saldanha Gaeta, que Deus siga lhes dando muita saúde. Parabéns a aniversariante maior de hoje Rosana Magalhães Penha. Obrigada. Semana que vem tem mais.

21 outubro, 2011

Fui num baile em Assunção. Guns and Roses, eu fui!


No último dia 15/10, aconteceu na capital paraguaia, o maior show de rock até hoje visto em Assunção. Axl Rose e sua trupe, fizeram um show apoteótico de aproximadamente 3 horas, desfilando os maiores hits do hard rock mundial. Para minha sorte (fã declarado), pude realizar este sonho de assistir uma das maiores lendas do rock mundial. O show aconteceu no Jockey Club de Assunção, espaço amplo e bem estruturado que pode receber um mar de gente, com aproximadamente 60 mil pessoas. Os portões foram abertos às 17 horas e os fãs, se amontoavam muito antes do show começar. Muitos estavam receosos devido à pífia apresentação da banda no Rock and Rio, e muitas foram às críticas que ouvi nos dias que antecederam o show. O Guns and Roses acabou! O Axl Rose está velho, não agüenta mais cantar! Os novos integrantes não tocam bem! Entre outras críticas de quem pouco conhece, essa que é a maior banda de hard rock do mundo. A verdade é que o show feito debaixo de um dilúvio no encerramento do Rock and Rio, deixou muito a desejar, até quem é fanático pela banda como eu, ficou com os dois pés atrás.Porém quem foi conferir a apresentação em Assunção, teve uma sorte única com tamanha empolgação de Axl no palco. Sem seus habituais e demorados atrasos, o maior show man em atividade no mundo, chegou pontualmente à meia noite. Ao melhor estilo Axl Rose chegou sobrevoando a multidão, em um helicóptero e não demorou muito para dar as caras no palco. Trajando a tradicional bandana e óculos escuros, Axl abriu o show com seu novo single, Chinese Democracy, que também nomeia o novo e lendário álbum que demorou nada mais nada menos do que 15 anos para ser lançado. Com a voz afinadíssima e os tradicionais agudos inimitáveis, levou a galera à loucura quando fez soar as primeiras notas do famoso riff de Welcome to the Jungle, logo na segunda música, com a rebeldia clássica ainda soltou um “fuck you”, levantando o “dedo do meio” para as câmeras que transmitiam suas imagens em telões gigantes de alta definição, dando ainda mais detalhes do show. Daí em diante, pude notar que assim como eu, todos os expectadores ficavam perplexos com tamanha qualidade apresentada em um show que muitos jamais imaginariam algum dia assistir. Axl mostrou uma performance digna de sua magnitude artística, e nos fez lembrar os bons e velhos tempos da década de 90, aonde era acompanhado pela formação clássica do Guns and Roses. Todos os maiores hits da banda, com exceção de Civil War e Patience, foram tocados, além de surpreender a todos com covers de Pink Floyd e ACDC. Para quem criticou o Guns and Roses, fica o meu lamento, pois quem esteve am Assunção, sabe o que realmente é um show da banda. Por sorte estive lá! 

João Caetano, músico/compositor
, líder da banda Surfistas de Trem,
 formando em Economia e colaborador do JR. 

Comente, critique, opine !!!
Não se cale, pois quem cala consente.

E-mail: surfdetrem@yahoo.com.br

19 outubro, 2011

Eleições 2012 Ponta Porã

PREFEITÁVEIS


Atendendo pedidos dos nossos leitores acerca do quadro que começa a se desenhar no que concerne às eleições municipais de 2012, traçamos algumas linhas a respeito de cada um dos pré-candidatos.

CAIO AUGUSTO

Depois da saída prematura do PSDB, Caio Augusto filiou-se ao novíssimo PSD, conduzido no Estado por Antônio João Hugo Rodrigues. Caio, para quem não lembra, disputou uma cadeira na Câmara Federal em 2010, obtendo mais de dez mil votos. É uma incógnita se ele terá a mesma votação para prefeito, eis que naquela eleição, foi o único candidato da cidade a pleitear uma vaga para deputado federal.

MOZAIR DO CARMO

O presbítero Mozair do Carmo – PHS – tem percorrido a cidade e sempre tentado argumentar com os ouvintes que seu nome é uma excelente opção. Homem religioso, de boa fala, Mozair, segundo dizem, tem um discurso afinado para entrar na disputa e vem buscando conversar com todo mundo, já antecipando o seu plano de governo.

JARBAS PEREIRA

O radialista Jarbas Pereira – PSOL – está animadíssimo para encarar o pleito eleitoral do ano que vem. Jarbas é ligado ao grupo da deputada Dione Hashioka – PSDB. Ele é muito conhecido na cidade pelo fato de ser o locutor oficial da EXPORÃ.

VAGNER PIANTONI

O ex- prefeito Vagner Pintoni – PT – está antenadíssimo nas articulações do partido da estrela na esfera estadual. Segundo os mais recentes boatos, Vagner teria sacramentado a sua candidatura para a disputa eleitoral do ano que vem em sintonia com o senador galã Delcídio do Amaral. Comenta-se que ele só teria problemas com a ala petista que não quer o seu nome e com uma “suposta” rejeição pública.

EDUARDO CAMPOS

O advogado e vice-prefeito Eduardo Campos – DEM – recentemente participou do primeiro embate para as eleições do ano que vem: a sua eleição para presidir o Democratas no município. Eduardo está em sintonia com o deputado estadual Zé Teixeira e caso não consiga emplacar a sua candidatura, deverá participar ativamente do processo eleitoral.

LUDIMAR NOVAIS

O vereador Ludimar Novais – PPS – Ao que parece só está esperando a data para largar a campanha na rua. Ainda há quem jura que ele não é candidato. Ludimar está cercado de interlocutores (articuladores) do mais alto nível, prontos para entrar em campo vestindo a camisa do vereador, que é ligado ao grupo do deputado estadual Paulo Correa e não deverá encontrar dificuldade em pavimentar a sua candidatura, garantindo sempre que é pré candidato a prefeito.

ÁLVARO SOARES

Álvaro Soares – PR – não tem feito outra coisa nos últimos anos que não seja campanha politica. Conhecido no meio político por “Ligeirinho” (não sei o porquê), Álvaro encontra grande resistência por parte da classe política e lideranças locais. Não chega a ser uma unanimidade, mas há resistência, ninguém pode negar. Ele apoiou o deputado federal Edson Giroto – PMDB – que estava em seu partido, porém, agora, está sob o comando do deputado Londres Machado, que aqui em Ponta Porã, não tem muita influencia.

CHICO GIMENEZ

Filiou-se ao PMDB nos 48 minutos do segundo tempo. Muita gente não está levando em conta que o empresário foi mais que um “soldado” do partido nas últimas eleições, trabalhando ativamente para o italiano, juntamente com o deputado federal Fabio Trad e os deputados estaduais Marquinhos Trad e Carlos Marun, todos do PMDB que eleitos receberam boa votação em Ponta Porã. Sua filiação pode resultar em uma eventual candidatura própria do partido do Ulysses. Chico Gimenez, só precisará viabilizar sua candidatura.

HÉLIO PELUFFO

Secretário ativo na atual administração, Hélio Peluffo Filho – PSDB – é tido pela classe politica como fiel escudeiro do prefeito Flávio Kayatt. Depois da reeleição, os comentários sempre deram conta de que Hélio seria o provável sucessor de Flávio em 2013. A classe política insiste que Hélio Peluffo tem rejeição alta, porém, ninguém prova (com pesquisas, por exemplo.) Caso Flávio Kayatt resolva participar das eleições do ano que vem (fazer o sucessor), Hélio Peluffo Filho é a sua primeira opção. Seu nome já começa a ser aceito pela população que deseja a continuidade da atual administração.

Colaboração: Pedro Zadyr

Comente esta coluna na internet através do blog: http://www.faloserio.blogspot.com, do www.mercosulnews.com, do www.noticiasdeponta.com e www.diariopora.com.br Email: elizjpp@hotmail.com



28 setembro, 2011

SAÚDE


O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou nesta segunda-feira (26) que considera "muito difícil" que o governo crie um novo imposto para financiar a saúde, mesmo em 2012. Em entrevista ao jornal "O Estado de S.Paulo" publicada nesta segunda, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse que é necessária a criação de um novo imposto para a saúde. Mas a Ministra disse também que não vai rolar nada por enquanto. Ufa!

JUSTIÇA ELEITORAL

A juíza em substituição legal da 19ª ZE/MS (Zona Eleitoral de Mato Grosso do Sul) de Ponta Porã, Drª Liliana de Oliveira, divulgou orientações aos presidentes de partidos políticos e comissões provisórias do âmbito da 19ª ZE (Ponta Porã, Aral Moreira e Laguna Carapã) constantes do Provimento TSE n.º 7/2011-CGE. O documento define o cronograma de processamento das listas de filiados de outubro 2011, a serem providenciadas pelos partidos políticos. “Lembramos que a atualização da lista de seus filiados é feita através do Sistema Filiaweb, que está disponível no site www.tse.jus.br, partidos e depois Filiação Partidária”, informa a magistrada.

OAB I

Recebi o honroso convite da Presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, Dra. Nina Negri Schneider para participar da solenidade de instalação e posse dos membros do Conselho de ética e Disciplina da Quinta Subseção, criado por força da Resolução 17/2011 que será realizada dia 29 – amanhã – no Tribunal do Júri, edifício do Fórum local, às 19h00min. Depois os advogados estão convidados para jantar no Restaurante Nature, sem ônus. Devendo a presença ser confirmada até hoje através do telefone 3431-1591.

OAB II

Falando nisso, com exceção do excelente trabalho da Dra. Nina em Ponta Porã, ao que parece o mesmo não acontece no Estado, pois tenho escutado muitos advogados reclamando da atual gestão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul. As reclamações vão de cobrança de anuidades já pagas a dificuldade no parcelamento de anuidades anteriores a 2011. Já tem gente sentindo falta da administração Fábio Trad. Não falei.

VEREAVEIS I

Conversei com o professor Hugo (PSDB) que está firme no propósito de se candidatar a uma cadeira na Câmara de Vereadores no ano que vem. Ele já está trabalhando há muito tempo para isso. Há também rumores que o filhão do Landolfo Antunes, o simpaticíssimo Rodrigo Antunes assinará ficha do PTB para candidatar-se. O Rodrigo não me disse que sim nem que não, mas acho que vai acabar cedendo à vontade do paizão. O Pedro Zadyr também foi convocado a candidatar-se, mas me disse que não dá para combinar o cargo de diretor de jornal com a política. Também acho.

VEREAVEIS II

Também fui convidada pela presidente do meu partido (PTB) para me candidatar. Declinei do convite por duas grandes razões, a primeira foi que aprendi às duras penas que funcionário púbico de carreira não deve se envolver em política. Ademais tenho a coluna que não é só minha é de todos e através dela podemos reivindicar muita coisa, não é mesmo? A segunda razão é que abri mão também em decorrência da vontade do meu filho Nuno Gaeta (PSDB) em se candidatar a vereador. Acredito nele e tenho certeza que nos representará muito bem. Apoio ele tem de sobra, e corre atrás dos votos o tempo todo. Sorte Nuno, nunca desista dos seus sonhos, são eles que nos fazem viver.

Além disso, tem muita gente acreditando na possibilidade de renovar geral, acreditando que os jovens trarão novo folego para a Câmara que anda meio capenga. E dizem que apenas um ou dois vereadores serão reeleitos. Os demais o povo está querendo aposentar. Ótimo.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial a Maria Cristina Barbosa e aos aniversariantes, Rita Azevedo e Johny Hadad Georges (26/09), Mariluce Caimar e Nani Armele (1º/10) Thiago Azambuja Marcondes (02/10) Nuno Gaeta (03/10), Gaby Saldanha (04/10) e Luiz Henrique; Luciana Torres; Michelly Martinez e Leila Hamer (07/10). Obrigada. Semana que vem tem mais.

21 setembro, 2011

DILMA


Em sua segunda atividade em uma série de compromissos na Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, a presidente Dilma Rousseff destacou, na tarde desta segunda-feira (19), durante discurso sobre a participação das mulheres na política, que tem se empenhado para "aumentar a participação feminina nas instâncias decisórias". Ela participou do Colóquio de Alto Nível sobre Participação Política de Mulheres.

Ao lado da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e da diretora-executiva da ONU Mulher (entidade que defende a igualdade de gêneros), Michelle Bachelet, a presidente da República destacou sua participação, na próxima quarta-feira, no discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU. "Depois de amanhã, serei a primeira mulher nos debates da Assembleia Geral das Nações Unidas. Gostaria de compartilhar esta honra com todas as mulheres que estão aqui presentes, em especial com a secretária Michelle Bachelet, primeira mulher na América do Sul a ser eleita presidente do seu país".

PAÍS DO FUTEBOL

Extremamente preocupado com os jogos da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil, o Poder Executivo enviou um projeto de Lei, que entre outras coisas, autoriza a União, os Estados e Municípios a decretarem feriado em qualquer um dos jogos tanto nas cidades sede como no restante. Faltando cerca de dois anos para o evento, a FIFA deve conhecer a tramitação do nosso Congresso mesmo, para exigir que o projeto seja aprovado logo. Credo.

PUCCINELLI

O governador André Puccinelli disse recentemente que o Estado provavelmente não cumpriria a execução orçamentária deste ano por falta de caixa. Ocorre que somente no mês de agosto, o Executivo estadual gastou quase cinco milhões de reais com agencias de propaganda e jornais de grande circulação. Já pensou se tivesse dinheiro em caixa?

SEBRAE

Prefeitos de Corumbá, Ladário, Puerto Suarez e Puerto Quijarro, cônsules, conselheiros e empresários dos municípios de fronteira assinaram nesta segunda-feira, 19 de setembro, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, em Corumbá, a Pactuação do Plano de Trabalho do Projeto Integração Produtiva de Micro e Pequenas Empresas em Ambiente de Fronteira – Brasil, Bolívia, Paraguai – MS Sem Fronteiras. “O apoio do SEBRAE às micro e pequenas empresas da fronteira é um fator estratégico, um desafio de sobrevivência, pois atende às exigências das empresas de grande porte que se instalam na região”, destacou o secretário de Gestão Governamental de Corumbá, Cássio Augusto Marques, ao abrir o evento.

PONTA PORÃ

A moagem política está começando tomar rumo em Ponta Porã. Desfiliações e filiações andam a mil por hora. As costuras políticas também estão caminhando bem depressa. O eleitor pontaporanense começa a visualizar as movimentações no tabuleiro de xadrez político. Os grupos políticos que disputarão as eleições do ano que vem estão praticamente definidos, faltando uma conversa aqui e ali para sacramentar as possíveis candidaturas.

SOLIDARIEDADE

O GAPP de Ponta Porã realizou no ultimo dia sete de setembro o evento do frango, para quitar a dívida junto ao DETRAN. Com a venda e doações, o GAPP já conseguiu hum mil e setenta reais. A dívida total é de dois mil reais. Quem tiver interesse em ajudar o GAPP pode procurar a Simoni lá mesmo no GAPP, ao lado do Hotel Inter Park. Qualquer ajuda será bem vinda. Urge que se regularize a situação do veiculo, haja vista que o mesmo necessita adentrar no país hermano para atender os portadores de HIV/AIDS que lá residem, bem como encaminhar os doentes para Campo Grande. Prometemos que não vai doer nada e aceitamos doações a partir de R$1.000,00. Podem ligar também para os telefones 3431-6615 - 9108-5062 e 8109-0703, que vamos pessoalmente buscar a doação e posteriormente fazer a prestação de contas.

MULTAS

De acordo com um policial militar que me abordou na semana passada, está aberta a temporada de expedição de multas aos cidadãos que não usarem o cinto de segurança. Em uma cidade como Ponta Porã, em que os índices de acidentes com vitimas não tem relação alguma com a falta do cinto de segurança, acho um exagero. Cá para nós Sr. Comandante não seria melhor apreender os veículos conduzidos por menores, por pessoas embriagadas ou outras irregularidades? Ou não seria o caso de notificar e se possível guinchar as motos que estacionam nos lugares proibidos ou ainda os veículos que estacionam em frente das farmácias, obstruindo o direito daqueles que realmente necessitam adentrar em referido estabelecimento? Está certo que Lei é Lei, mas então, vamos cumprir direitinho né?

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial a Marineli Alves Pinto, Hélio Pellufo Filho, Adê Azevedo e Karen Couto Fraga e aos jornalistas e grandes profissionais Carlos Monfort e Paulo Rocaro. Obrigada. Semana que vem tem mais.

20 setembro, 2011

novo artigo do grande Ney Magalhães

DIA DO GAÚCHO


* R. Ney Magalhães



Dezenove de Setembro é o Dia do Gaúcho, que deveria ser comemorado e festejado duplamente por nós descendentes desses bravos Pioneiros Riograndenses que no final do século dezenove aqui chegaram e iniciaram a Primeira Colonização Social e Econômica do então Sul do Mato Grosso ainda Uno.

Já no século vinte, no final de 1969 e inicio da década de 1970 este Sul Maravilha foi novamente agraciado com a vinda dos primeiros agricultores mecanizados, oriundos daqueles mesmos pampas e coxilhas onde também nasceram nossos avós e nossos pais.

Considero que a organização das Lavouras mecanizadas inicialmente cultivando arrôs/soja/trigo motivou os primeiros passos do atual agronegocio regional

Portanto foram duas fazes distintas de Colonização e de Desenvolvimento, promovidas pelo mesmo sangue sulista, sendo que a primeira com a ocupação e labor das terras consolidou e fixou as Fronteiras pós-guerra.

E a segunda, quase cem anos depois promoveu um rápido e prospero desenvolvimento econômico motivando e condicionando após Dez Anos a criação do Estado de Mato Grosso do Sul.

Neste dia 19 de setembro em que nacionalmente comemora-se o Dia do Gaúcho, fazendo justiça quero elevar meu pensamento para as mulheres que naqueles tempos difíceis acompanharam “as caravanas” de carretas de bois e cruzando terras argentinas e grande parte do território paraguayo alcançaram este sonhado eldorado.

Ouvindo historias de minha saudosa avó Anália dos Santos Berghan Albuquerque de Magalhães conheci alguns episódios da grande viagem enfrentada pela comitiva de trinta e duas carretas lideradas pelo vovô Luiz Pinto de Magalhães e pelo seu sogro meu bisavô de descendência alemã, Clemens ou Clementino Berghan de Albuquerque.

Naquele final de século no inicio do verão de 1897, na Bossoróca segundo Distrito de São Luiz Gonzaga RS, arreando os cavalos e atrelando os bois nas carretas iniciou-se a marcha no rumo do desconhecido cantado e festejado pelos gaúchos peleadores que haviam lutado na recente guerra da Tríplice Aliança, e que sonhavam em retornar a estas plagas fronteiriças que exibia neste planalto médio, inúmeras lagoas e enormes coxilhas de planícies idênticas aos Pampas da Querência nativa.

Na epopéia da travessia que enfrentou animais ferozes e grupos de bandidos salteadores chamados de “quatreiros” aconteciam também fatos pitorescos e alvissareiros como o nascimento de crianças.

Contava a vó Anália que duas das carretas menores eram destinadas para esse fim, e que sua única filha mulher a Senhorinha, nasceu no primeiro ano da viagem quando atravessavam terras paraguayas.

E assim fazendo justiça, nesta oportunidade recordando de minha avó eu desejo estender essa homenagear a todas as mulheres GAÚCHAS que enfrentaram as dificuldades dos quase três anos de carreteada, e depois vivendo aqui inicialmente em ranchos de sapé com paredes de pau a pique.

Gravadas em minha mente estão às lembranças dessa heroína gaúcha que foi minha avó Anália, a contadora de historias.

Dizia que em seus pertences com muito carinho transportava diversas latas com sementes de plantas medicinais como o guáco, alecrim, marcela, jateí caá e outros, alem de três máquinas de costura da marca Singer sua grande fortuna.

Essas plantas da farmacopéia caseira regional agora são comuns por aqui. O “guáco” porem dificilmente é encontrado, e assim como eu ainda cultivo esse tempero de chimarrão posso fornecer mudinhas para quem o desejar, afirmando que é um santo remédio contra tosse e outros males da garganta, recebendo as recomendações do amigo Dr. Asturio Marques que muito aprendeu com sua mãe Dona Conceição.

Quanto as máquinas de costura posso afirmar que foram instrumentos da mais alta importância na vida de minha família, serviu para a elaboração das vestimentas e como ganha pão em muitas oportunidades.

As noras, as sobrinhas netas e as inúmeras afilhadas, todas elas aprenderam e cultivaram a arte do crochê do tricô e da costura, tudo isso nas varandas da Casa Grande da Avenida Brasil, no embalo das tardes de “mate doce” enriquecido com caá he-em uma erva doce saborosa e nativa das margens do Rio São João. Muitas moças e rapazes das primeiras regiões exploradas como a Capei, Graça de Deus e vale do Rio São João, filhos de parentes ou compadres vinham “parar” nessa Casa Grande para estudar na cidade. As mulheres também aprendiam as artes domesticas, e assim recordo da família do Casemiro Príncipe Maciel de Oliveira, dos Graeff e das primas Pinto de Magalhães, Terra, Cabral e Siqueira, entre elas a Eva, hoje Siqueira de Jesus uma grande poetisa contemporânea. O saudoso amigo meu escritor tradicionalista nativo preferido o Elpidio dos Reis participou desse convívio.

Tempos que devem ser cultuados.

Sobre os participantes da Segunda Colonização temos muito a festejar e relembrar com carinho. Neste dia 19 de setembro Dia Nacional do Gaúcho em homenagem a todos os companheiros produtores rurais gaúchos e às suas mulheres cumprimento-os saudando a Dona Clecy esposa do Patrão do CTG Querência da Saudade, Ivo Cherini, o guardião e de nossas Tradições.



Produtor Rural

“agroney@bol.com.br”

14 setembro, 2011

FALANDO SÉRIO: GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!

FALANDO SÉRIO: GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!: Dra Eliz favor divulgar em sua pagina No dia 07 de setembro tivemos o evento de frango assado onde objetivo era recadar fundos para pagar a...

FALANDO SÉRIO: GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!

FALANDO SÉRIO: GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!: Dra Eliz favor divulgar em sua pagina No dia 07 de setembro tivemos o evento de frango assado onde objetivo era recadar fundos para pagar a...

FALANDO SÉRIO: GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!

FALANDO SÉRIO: GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!: Dra Eliz favor divulgar em sua pagina No dia 07 de setembro tivemos o evento de frango assado onde objetivo era recadar fundos para pagar a...

GAPP-HIV/AIDS - Pede ajuda urgente!

Dra Eliz favor divulgar em sua pagina

No dia 07 de setembro tivemos o evento de frango assado onde objetivo era recadar fundos para pagar a divida do DETRAN , pois como se sabe você foi a pessoa que nos ajudou a ganhar o carro da receita federal , mais infeslizmente nao insentam multas e valores e esta multa esta em 2.000 R$ necessitamos do carro para entrar no paraguai onde atendemos as pessoas, e tambem viajar para Campo Grande,para resolver assuntos da ONG,o carro e um instrumento importante para nos.

conseguimos o valor de 600,00R$ com a venda
ganhamos
150,00 R$ da Mana e amigos
200,00 R$ studio Center
10,00 R$ casa do fazendeiro
40 ,00 R$ Geraldo CArpes
70,00 R$ Luiz
ganhamos frango da escola Topo Gigio, Escola Maria Ligia, Restaurante Hzao , Luis,que tambem nos doou mandioca e carvao.
gostaria que colocasse este agradecimento para estes voluntarios
Simoni Bitencourt

GAPP-HIV/AIDS
Casa de passagem-Ponta Porã-MS

(67)3431-6615 - 9108-5062-8109-0703. Liguem para esse número e vamos buscar o dinheiro e depois prestaremos conta, ok? obrigada.


DILMA


A entrevista da presidenta Dilma Rousseff ao programa Fantástico no ultimo domingo deu o que falar. A presidenta explicou porque não gosta do termo faxina, por exemplo. Dilma afirmou que a base aliada do governo não recebe nada pelo apoio. Ela ainda explicou que não é tão linha dura, como dizem, apenas que pelo fato de ser mulher, é que as pessoas interpretam mal a sua maneira de falar.

LÍDER

Recém-indicado como novo líder do governo no Congresso, o senador José Pimentel (PT-CE), negou, nesta segunda-feira (12), que sua indicação ao cargo tenha causado desconforto entre PT e PMDB. O posto era ocupado pelo deputado federal Mendes Ribeiro (PMDB-RS), nomeado para o Ministério da Agricultura em substituição a Wagner Rossi, que pediu demissão após uma série de denúncias de irregularidades na pasta. "Os líderes do PMDB conduziram com a presidente e chegaram ao nosso nome, sem nenhum trauma", afirmou o novo líder.

OBRAS

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, criticou nesta segunda-feira (12) "posturas" contrárias à regra de licitações para obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o chamado Regime Diferenciado de Contratações (RDC). O RDC flexibiliza a Lei de Licitações, de modo a simplificar e dar mais rapidez ao processo de contratação das obras, segundo o governo. Na última sexta-feira (9), o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação em que pede a suspensão das novas regras para licitações.

"O RDC foi aprovado pela Câmara e pelo Senado, e sancionado pela presidente da República. Não tem qualquer inconstitucionalidade. Posturas que buscam impedir este mecanismo não contribuem para o nosso movimento nem para melhorar o processo de controle e fiscalização", disse a ministra.

PUCCINELLI

O governador André Puccinelli tem se mostrado um exímio jogador, no quesito política. Ele tem percorrido o interior do Estado, tentando viabilizar candidaturas de gente ligada ao seu grupo, para desestabilizar a oposição. Se o resultado for o esperado, André provavelmente fará o seu sucessor, com muita folga, eis que o grande passo rumo à sucessão estadual será dado nas eleições do ano que vem.

CRÉDITO

Foi promulgada hoje pelo presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Jerson Domingos (PMDB), a lei que impede as empresas de telefonia de impor limite de tempo para a utilização de créditos em telefones celulares pré-pagos no Estado. A lei já está em vigor. A lei 4084, proposta pelo deputado estadual Paulo Duarte (PT), foi vetada pelo governador André Puccinelli (PMDB), mas o veto foi derrubado no dia 6 de setembro pelos deputados e por isso agora está havendo a promulgação. Com a lei, os créditos pagos não podem mais vencer, como ocorria antes.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial à América Cardoso e Carlos Augusto Neves, além das aniversariantes do próximo dia 16/09: Soraia Mahmoud Ghattas, Walkiria Capusso e Raquel de Leon. Obrigada. Semana que vem tem mais.

05 setembro, 2011

Artigo de Luiz Carlos Saldanha Rodrigues

Socorro! Querem assassinar o júri.


Hoje ao chegandoaomeu escritório tomei conhecimento que, em Campo Grande,será realizado o primeiro júri virtual do Brasil. Procurei, rapidamente, tomar conhecimento sobre a notícia avassaladora. Máquinas substituirão o processo tradicional. Os Jurados, se desejarem, poderão consultar um notebook, onde estarão armazenadas as principais peças do processo. No plenário, um telão, exibirá simultaneamente a peça, cuja referência esteja sendo feita pelo Presidente do Júri ou pelas partes. Quase enfartei, tamanho foi o susto que levei. Querem assassinar o Júri Popular!
Pobre do Júri que já agonizava, agora receberá logo aqui, em Campo Grande, talvez o último golpe para que possa cair e morrer. Todos nos sabemos que os Juízes Togados não são amantes do julgamento popular.Pelo contrário, muitos deles, são adeptos da tese que sustenta a sua extinção, e,dizem :“o Júri é um teatro.”

O assassinato, planejado não se sabe por quem, mas que será executado pelo titular do 2º Tribunal do Júri da Comarca de Campo Grande, não teve sequer a participação de um representante dos advogados e nem do povo, os quais foram convidados apenas para assistir ou para testemunhar, como se fosse a execução de uma pena de morte.

O meu grito pedindo socorro encontrou eco nas palavras do Promotor de Justiça paulista, Edilson Mougenot Bonfim, quando escreveu sobre a instituição destinada ao julgamento do povo, onde já afirmava o deliberado propósito de matarem a instituição de forma lenta e progressiva.
Para ele, somente os que não entendem a essência da instituição é que podem achar que o Júri é um teatro. O Júri inteligente, na afirmação desse extraordinário representante do Ministério Público Paulista, de decisões verticais, construtor de exemplos, argamassado na fé dos que comungam a hóstia da verdade sob os cânticos de versículos da lei, é um sacrário. Não um teatro. Seus defensores são templários, peregrinos devotos de uma causa santa. Se é teatro, não é de falsa encenação; jamais de hipocrisia,nunca de mercancia. Teatro? Somente na saudável acepção da palavra, quando competentes humanos vivam necessários papeis porque neles legalmente investidos. O advogado- vinculado pelo contrato que o une ao réu- além do direito,evoca e interpreta as dores do acusado; a aflição da família; a caridade, o perdão, a questionada falência da prisão. O promotor tem seu script: a defesa da sociedade,interpreta a vontade da justiça pública, da conveniência da coletividade, da aplicação da lei, da utilidade da pena.

Estou pedindo socorro, não apenas por mim, mas por Carlos Gilberto Gonzales, Giordano Neto, Waldir Troncoso Peres, Jorge Antônio Siufi, Walter Garcia, Odir Vidal, Ari Fonseca, Lauro Machado, Evaristo de Moraes, Carlos de Araújo Lima, Roberto Lyra, Magarinos Torres,Cordeiro Guerra, Evandro Lins e Silva, Romeiro Neto e muitos outros que se foram levando consigo o ideal de um Júri respeitado, soberano, expressão máxima da democracia judicante. O Júri não pode ser banalizado, aviltado, não só porque representa uma instituição secular e nem porque foi a trincheira avançada em defesa do Estado de Direito e Democrático. Na porta do Tribunal do Júri chegaram os soldados comandados pela revolução de 1.964, mas não tiveram coragem de pisar no chão sagrado das liberdades humanas, na expressão de Abel Rezende, um dos grandes tribunos com quem tive a oportunidade de dividir memoráveis julgamentos populares. Ali os advogados se entrincheiravam para contra-atacar as violências cometidas contra colegas e contra a sociedade. Muitos tombaram. Mas do lado de fora. Dentro eram intocáveis, estavam protegidos pelo manto sagrado dessa instituição que ao longo do tempo vem sendo atacada. Primeiro eliminaram os seus símbolos, depois as vestimentas, por último, atacaram o formalismo, eliminaram recursos, forma de questionamento, tudo a pretexto de simplificar e agora a estocada final, querem eliminar o processo, passando para máquinas. É a morte, morrida de forma agonizante. Tudo em nome da informatização.

Concordo, o Júri é uma instituição que precisa de um ou outro ajuste, como já dizia Mougenot, porque a vida é um constante processo de aperfeiçoamento. Mas não pode ser banalizado em nome de uma aparição pública e nem pelo estardalhaço da notícia: CAMPO GRANDE REALIZARÁ O PRIMEIRO JÚRI VIRTUAL DO BRASIL.

O Júri, portanto, está na iminência de receber a última facada e vai morrer aos poucos, porque logo, a pretexto de que o réu é portador de alta periculosidade, evoluirá para o “júri à distância”, e ai sim, Carlos Gonzales, Giordano Neto, Waldir Troncoso Peres, Jorge Antônio Siufi, Walter Garcia, Odir Vidal, Lauro Machado, Ari Fonseca, Evaristo de Moraes, Carlos de Araújo Lima, Roberto Lyra, Magarinos Torres, Cordeiro Guerra, Evandro Lins e Silva, Romeiro Neto e muitos outros, descerão das alturas e virão em socorro de nós, que ainda habitamos a terra, para travarmos a batalha final em defesa desta instituição.

Salvem o Tribunal do Júri. Não o deixem ser assassinado!

Autor: Luiz Carlos Saldanha Rodrigues.

Juiz de Direito Aposentado e Advogado Criminalista.

sace.saldanha@yahoo.com.br

Falando Sério (publicação de 31/08)

PÉ ESQUERDO


O recém criado Partido Social Democrático – PSD – nem começou a existir direito e já enfrenta uma denúncia contra as assinaturas que dão origem ao partido. Segundo reportagem de Júlio Mosquera, para o Jornal Nacional, 30% dos eleitores de Crixás – TO – tinham o nome e assinatura na lista de criação do partido, porém, não reconheceram as suas assinaturas. O ex partido de Gilberto Kassab, o DEM, formalizou junto ao Tribunal Superior Eleitoral uma contestação quanto ao registro nacional do PSD. Começou bem o partido de Gilberto Kassab.

LULLA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem marcados para esta semana compromissos em três países da América Latina. Os encontros serão com os chefes de estado da Bolívia, Costa Rica e El Salvador e devem tomar toda a semana. Lula retorna ao Brasil ainda na quinta-feira para participar do Congresso do Partido dos Trabalhadores, no dia seguinte, sexta-feira (2), em Brasília. No sábado (3), Lula irá visitar as obras do estádio do Corinthians, que está sendo erguido em São Paulo para a Copa do Mundo de 2014. Vai dando asa para ele. 2014 está perto.

PMDB

A cúpula estadual do PMDB começou a definir as ações visando as eleições municipais do ano que vem. Durante o encontro, ficou combinado que o governador André Puccinelli será o conciliador nos municípios onde houver conflito em novas filiações. O governador deverá intermediar o desconforto causado pela vinda de novos integrantes à legenda. Esse André não é fraco não.

CAMPO GRANDE

Nas festividades pelo aniversário da Cidade Morena, o que se viu foi uma moagem política sem precedentes. Em um dos eventos, por exemplo, o governador André Puccinelli – PMDB – passou uma bola de futebol para o deputado federal Edson Giroto – PR – seu preferido declarado para suceder Trad. Se fosse fácil assim, o Giroto já estaria sentado na mesa da prefeitura de Campo Grande. Mas, como na vida, a política dá voltas e mais voltas, quase sempre buscando o caminho mais curto, vamos aguardar os rumos na sucessão da Capital.

JUSTIÇA FEDERAL

No próximo dia 16 de setembro será definitivamente instalada em Ponta Porã a 2.ª Vara da Justiça Federal. É uma conquista há muito desejada pelos operadores do Direito em nossa Comarca. Significa que haverá mais celeridade nos mais de cinco mil processos distribuídos apenas na 1.ª Vara da Justiça Federal. É um avanço em termos de prestação jurisdicional que teve empenho de Juízes, Advogados, Promotores e da classe política local.

ENCONTRO

Nos dias 15 e 16 de outubro acontece na Avenida Brasil o 1.º Encontro de Carros Antigos de Ponta Porã. A iniciativa foi tomada pelos membros do Clube do Carro Antigo de Ponta Porã, através de sua Diretoria. No encontro haverá eventos culturais, praça de alimentação e feira de artesanato. Contatos e confirmação de presença pelos fones: Marcelino 67 84192538; Arlindo 67 99753272; Gilberto 67 96320520 e Jorge 67 92025828. O Encontro promete ser um sucesso.

ESPECIALISTAS

Notamos que algumas pessoas se tornaram especialistas em disseminar a discórdia. Geralmente é uma pessoa sem nada a contribuir em nenhum setor da sociedade, mas tem o verdadeiro prazer em denegrir a imagem de pessoas de bem, que geralmente tem a vida pautada no trabalho e na honestidade. A nossa sorte é que a vitória do mal é a exceção da regra, aliás, o mal pode até ganhar uma batalha aqui outra ali, porém, ganhar a guerra é com o pessoal do Bem. Por isso, cada um deve se proteger como pode daqueles ou daquelas que só desejam o mal e vamos assistir de camarote a derrocada de um por um. Afinal, o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória.

O SENTIDO DA VIDA

Foi numa curva da Rua Urumbela, a curva da coophafronteira, que meu grande amigo Celso Signoretti perdeu a vida na última tarde de domingo. Sua moto se descontrolou e ele veio a bater contra uma cerca. O Celso para quem não conheceu, era uma pessoa que despertava diferentes sentimentos nos outros. Polêmico e idealista, às vezes denuncista, tinha gente que não lhe queria bem. Mas toda unanimidade é burra, já dizia Nelson Rodrigues. Cheio de planos e idealista, doando até o que não tinha para os mais necessitados. Mas a vida segue como tem que seguir e ficou a saudade, afinal, as vezes nossos amigos nos surpreendem e deixam a vida de repente. Boa viagem Celso.

25 agosto, 2011

PLEBISCITO


Está marcado para hoje no STF o julgamento sobre quem está apto a votar na divisão ou incorporação de Estados ou Territórios. Existe uma corrente que sustenta que toda a população brasileira deveria votar, porque a divisão gera mudanças nas economias de outros Estados e na composição do cenário político em Brasília. Já a outra corrente, sustenta que apenas o Estado ou Cidade desmembrado é que deve ser consultado.

MAGISTRADOS

Precisou a Juíza Patrícia Aciolli ser assassinada para que os Poderes instituídos resolvessem tomar providencias. Agora, o CNJ disse que vai propor metas para a segurança dos Juízes a serem aplicadas em 2012. Serão adotados o uso de carros blindados, filmadoras e escolta armada aos Magistrados, além do controle de pessoas nos prédios do Judiciário. O questionamento é de que isso tudo não poderia ser resolvido antes da morte da Juíza?

PMDB

O PMDB tem sido o centro das atenções em Campo Grande, por conta da sucessão municipal do ano que vem. É que dentro do partido existem pelo menos três nomes dispostos a suceder Nelsinho Trad: Carlos Marun, o vereador Paulo Siuffi e irmão do prefeito, o deputado Marquinhos Trad. Segundo Nelsinho uma pesquisa qualitativa e quantitativa definirá os rumos do partido do Ulysses aqui no Mato Grosso do Sul. Já ouvi essa estória de pesquisa em algum lugar.

IGREJA BATISTA I

Missão Batista Ipê II é uma congregação da Primeira Igreja Batista de Ponta Porã – PIB - estará comemorando aniversário de 15 (quinze) anos de fundação nos dias 27 e 28 de agosto. Os cultos serão às 19h00min horas no dia 27 e às 09h00min e 19h00min horas no dia 28. O preletor será o Pr. Marcos Arguelho, de Campo Grande da Igreja Batista da Paz.

O templo está localizado na Rua Algacir Pissini, no Bairro Ipê II e tem na sua liderança o Pastor Ari Oliveira Cavalcante esposo da dona Nivany de Souza Cavalcante e competentíssimo funcionário da Justiça Federal em Ponta Porã.

IGREJA BATISTA II

O Pastor Ari veio de Campo Grande, é bacharel em Direito pela UCDB e Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Oeste do Brasil – STBOB. Os cultos na missão acontecem no domingo na parte da manhã, 09h00min horas e à noite às 19h00min horas. Nos sábados ocorrem as reuniões de pequenos grupos e na quinta-feira é feito trabalho social junto à comunidade local. No dia 27 como parte das comemorações o Coral da Primeira Igreja Batista fará sua apresentação. Haverá solo da Miss Nionis e Louvor sob o comando de Ismael e Dany e preleção pelo Pastor Marcos Arguelho. As comemorações continuam no dia 28.

MARIA BONITA

A artista plástica e ambientalista Maria Bonita Rodrigues Georges começa a colher os frutos da profissão. Foi convidada, junto com um grupo de artistas plásticos para participar da montagem de uma exposição que acontecerá no Museu de Artes de São Paulo – MASP - que está com data marcada para o fim deste ano. Ela fará uma obra de arte em que mistura borra de café e pó de ferro. “A reciclagem é muito importante para o meio ambiente. Reaproveitar a borra de café e o pó de ferro é muito importante para contribuir com o meio ambiente”, disse a ambientalista. É isso, para quem não acreditava na Maria Bonita, ela vai longe, muito longe.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial a Luzia Silva aniversariante do dia 22/08 e Otaviano Cardoso, pré candidato a vereador em 2012 e que comemora aniversário amanhã recebendo todo o carinho dos filhos e da amada Dora. Também a Patrícia Insauralde e ao Luiz De La Puente fazendo o maior sucesso em Campo Grande.

Obrigada. Semana que vem tem mais.

17 agosto, 2011

FALANDO SÉRIO

FRENTE PARLAMENTAR


Os Senadores resolveram criar uma frente parlamentar de apoio à presidenta Dilma Rousseff. Tudo para dar apoio às “faxinas” nos ministérios. Cá para nós, se a presidenta mandou limpar os ministérios, haveria necessidade de os nobres parlamentares criarem a tal frente? Ou seria apenas para pegar carona na mídia presidencial? Fala Sério!

DILMA

A presidente Dilma Rousseff, falou sobre as apurações de corrupção nos Ministérios e sobre o abuso das autoridades. Ela disse que “Onde ocorrerem malfeitos, como o crime organizado, nós iremos combater com firmeza, utilizando todos os instrumentos de investigação e punição de que o governo dispõe e sempre contando com a atuação isenta do Ministério Público, com a eficiência da Justiça e com o poder de decisão do Judiciário. Ao mesmo tempo tenho o dever de afirmar que farei tudo o que tiver ao meu alcance para coibir abusos, excessos e afrontas à dignidade de qualquer cidadão que venha a ser investigado”, disse a presidente. Essa presidenta é porreta.

APOSENTA?

O ex-governador Zeca do PT disse esta semana que se o seu partido (PT) fizer coligação com o PMDB, estará jogando sua história no lixo. Além do mais, Zeca prefere a aposentadoria a ter que caminhar junto com o partido do Ulysses Guimarães. Ele foi convidado pelo ex-deputado federal Dagoberto Nogueira a filiar-se no PDT, porém, manteve a recusa. O governador André Puccinelli, ao ser informado sobre as declarações de Zeca disse: “Ele (Zeca) não representa o PT, ele queima o PT”.

ASSASSINATO

O assassinato da Juíza Patrícia Acioli, no Rio de Janeiro, apenas mostrou o que todo mundo já sabe: o risco que os magistrados correm. São dezenas de Juízes ameaçados em todo o País. Querer que apenas a Polícia Federal faça a escolta de todos eles, seria muito complicado e a PF perderia grande parte de seu mirrado contingente. Além do mais, seria um desvio de função dessa polícia que já tem muitas atribuições.

PRESSÃO

A população bateu o pé até que conseguiu a suspensão, mesmo que temporária, das tais blitz que estavam sendo realizadas pela Polícia Militar. Um pouco de bom senso do governo estadual também. Agora, o que tem de político tentando pegar carona no assunto não é brinquedo não. Vou repetir o que já escrevi algumas semanas atrás: só será possível mudança se for via Brasília, do contrário, fica tudo como está. Quem disser outra coisa, está enganando o cidadão. Só através de deputados federais (não temos) e senadores (pior ainda) é que as coisas poderão ser diferentes.



PRESSÃO II

O que me contaram foi que na semana passada logo após o prefeito Kayatt conseguir com o governador uma trégua da PM, na operação “prende motinha de trabalhador”, ele, o prefeito deu de cara com uma blitz e várias motos apreendidas. De imediato peitou todo mundo e mandou a policia ir prender os assaltantes e demais bandidos que estão fazendo a festa com suas motos emplacadas. Mereceu como de fato merece aplausos. Enquanto isso, meu povo é melhor regularizar a situação das motos e dos documentos para evitar novas apreensões, pois ao que tudo indica foi só um recuo estratégico e a qualquer momento a operação já estará nas ruas.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial Tania Monteiro e Dr. Edson Derzi e aos aniversariantes de ontem (16/08) Samantha Pacheco Gimenez e Tenente Vargas; acadêmico de direito Jonas Douglas (hoje); deputado federal Fabio Trad (18/08) e Juliana Grance (20/08) Obrigada. Semana que vem tem mais.

11 agosto, 2011

FALATÓRIO


Depois das declarações do ex-ministro da Defesa, Nelson Jobim, de que a Ministra das Relações Institucionais Ideli Salvatti era “muito fraquinha” e que a Ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann “sequer conhecia Brasília”, aconteceu o esperado: o Ministro falastrão caiu e para seu lugar assumiu o ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lulla, Celso Amorim. Segundo a presidenta Dilma Rousseff, é o homem certo no lugar certo. Então tá.

OPOSIÇÃO

Por falar nisso, o trabalho da oposição em Brasília é considerado por especialistas como fácil demais, eis que os próprios ministros, ou seus assessores, estão fazendo o trabalho que seria da oposição. Faxina no Ministério dos Transportes, denúncia de lobby no Ministério da Agricultura são alguns dos exemplos. Enquanto isso, a oposição ensaia uma CPI para qualquer coisa, mas efetivamente, não faz nada.

2014

Semana passada, quando participava de encontro de governadores da região Centro-Oeste, em Cuiabá, capital de Mato Grosso, o governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli, do PMDB, disse que Campo Grande “já descartou qualquer chance de sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014”. Ele disse isso para expor sua opinião quanto à possibilidade de Cuiabá ficar de fora do maior evento esportivo do mundo caso não cumpra a matriz de responsabilidade exigida pela FIFA (Federação Internacional de Futebol). As declarações de Puccinelli foram publicadas no site Olhar Direto. O governador sul-mato-grossense criticou, ainda, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

“O Ricardo Teixeira [presidente da entidade] que enfie a Copa onde ele quiser. Não se brinca com o imaginário popular duas vezes. A população de Campo Grande já curtiu a dor de cotovelo, mas Cuiabá foi mais competente e vai sediar os jogos e eu venho aqui para assistir”, declarou o peemedebista que admitiu sentir inveja de Cuiabá por ter conquistado o status de cidade-sede da Copa. Falou e disse. Esse é o meu governador!

ACRISSUL

Eleição realizada na ultima segunda-feira, garantiu mais um mandato ao produtor rural Francisco Maia, o Chico Maia. Com duzentos e oitenta votos, ele vai presidir a Associação de Criadores do Mato Grosso do Sul, mesmo contra a vontade implícita do governador André Puccinelli. A campanha foi de um nível, digamos assim, mais baixo, com pedidos de impugnação e denúncias de calote. Vamos aguardar agora como será a “nova” gestão do Chico Maia.

TIO SAM

A economia dos Estados Unidos está no fio da navalha e se cair, levará o mundo junto. Considerada até pouco tempo atrás como a economia mais sólida do planeta, o presidente Barack Obama, “rebolou” para aprovar – e só conseguiu na última hora – um pacote de medidas tidas como urgentes. A recente classificação de risco da economia americana para baixo levou as bolsas do mundo ladeira abaixo. Aqui no Brasil, a Dilminha, disse que o País está “blindado” contra uma nova crise mundial. Tomara.

MILENA

No ultimo sábado, a jovem Milena Pacheco Gimenes passou por mais uma cirurgia em Campo Grande. Internada há dois anos na Capital, o neurologista Dr. Yuri Nicolai Weissnan foi o responsável por mais esta intervenção cirúrgica. Ao final, tudo transcorreu dentro do previsto e agora é aguardar a recuperação da MIMI, como carinhosamente é chamada por todos. Os pais, Chico e Dirce Gimenez, agradecem todas as orações e manifestações de apoio recebidas neste difícil momento. Desta colunista, fica o desejo de que tão logo a MIMI se recupere, retorne para Ponta Porã, onde um montão de amigos a esperam.

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial a Marta Pereira da Silva; Ramão Florenciano (Neto) e aos aniversariantes da semana: Marisa Argenton (ontem); Marcos Dione (hoje); Vicente Gomes Ramos (amanhã); Barbara Alcântara e Fabiane Salem (sexta-feira) e domingo, completa mais um ano de vida o grande jornalista campo-grandense Marco Eusébio. Obrigada. Semana que vem tem mais.

03 agosto, 2011

falando serio 03 de agosto

EXPLICAÇÕES


O líder do governo na Câmara dos Deputados, deputado Candido Vacarezza – PT-RS – disse nesta segunda-feira que a base aliada irá apoiar a convocação de Ministros para darem explicações sobre irregularidades em suas pastas. Para ele, “Na democracia, temos que lidar com críticas, com denúncias e todas as denúncias têm de ser averiguadas. Se for para falar sobre suas pastas, sou favorável. Se for convite para uma discussão para esclarecer as coisas, nós somos favoráveis. Nós não vamos colocar nenhuma dificuldade para fazer convite a nenhum ministro”, afirmou Vaccarezza. Muito bonito o discurso.

LINGUA SOLTA

O governador André Puccinelli, conhecido pela sua língua solta, soltou mais uma pérola no último dia 29. Ao ser questionado sobre a Vila Olímpica, inaugurada em Dourados, porém, fechada por falta de quem administre. “Dá papinha pro índio, dá comida pro índio, dá camisinha [sic], camiseta pro índio, dá kit escolar pro índio, dá escola, dá casa pro índio, agora vai ter que tocar pro índio também?”, disparou. Alguém precisa avisar o governador que falta dar apito para o índio.

OAB

Esta dando o que falar a questão da Inconstitucionalidade do exame da Ordem. Acontece que desde 2009 tramita no STF recurso que questiona sua constitucionalidade. Os advogados consideram uma verdadeira retaliação à OAB, o parecer contrario ao Exame da Ordem emitido pelo subprocurador-geral da República Rodrigo Janot. O motivo, de acordo com o conselheiro e advogado Almino Afonso Fernandes foram os dois votos que os representantes da Ordem no CNMP deram pela abertura de processo disciplinar contra Janot, há pouco mais de um mês. Na verdade todos querem formar em direito e pegar um “mamão com açúcar”. Nada disso, é preciso estudar, pois, do contrário, são as pessoas que precisam de um bom advogado são quem acabam perdendo.

CONVITE

A Coordenadora do Curso de Direito da Faculdade FIP/MAGSUL, Dra Lysian Carolina Valdez convida todos os advogados a participarem do V Congresso Internacional de Estudos Jurídicos da Fronteira a ser realizado entre os dias 10 a 12 de agosto. Presenças confirmadas: Sérgio Harfouche, Promotor da Infância e Juventude, Luiz Flavio Gomes, grande jurista brasileiro e Fábio Trad, advogado criminalista e deputado federal. Maiores informações através do telefone 3437-8804 ou pelo Email da Coordenadora Lysian@uol.com.br.

BOXE

Sem qualquer apoio de órgãos institucionais ou privados, o Sr. Edésio Ribeiro, Presidente da FBOEMS, treinador de boxe há mais de 10 anos, vem realizando um trabalho exemplar com crianças carentes pede apoio da imprensa para divulgar que o Sulmatogrossense Bruno Lucas Moreira De Oliveira, 21 anos de idade, disputará no dia 13 de agosto de 2011 (sábado), o título Sul Americano de Boxe Profissional da WKBC (WORLD KICK BOXING COPORATION) pela categoria Peso-Pesado (acima de 91,600 kg). A luta será contra o Argentino Silvio Julian Palavecino “El Mohicano” no Instituto Social Pioneira, cito a Rua Barão de campinas, 187 – Bairro Pioneiro Campo Grande-MS, a partir das 19h30. Ai, Seo Edésio, tem todo o nosso apoio.

PPS

O pré-candidato a vereador pelo PPS, Marcos Candia, me fez convite para filiar-me no PPS. Como todos sabem, sou filiada a um determinado partido e pertenço a ala insatisfeita com seus rumos. Agradeço ao convite feito pelo Marcos Candia e prometo pensar com carinho a respeito, afinal, tenho até o começo de outubro, segundo o calendário eleitoral para resolver se aceito ou não o convite. Ademais, leitores o que vocês acham disso? Devo consultar as cartas ou quem dá as cartas?



AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial ao juiz aposentado e criminalista Dr Luiz Carlos Saldanha Rodrigues que aniversario em 1º de agosto, aos amigos Vinicius e Fabiola Gimenez que retornaram a Ponta Porã depois de 06 anos residindo em Portugal; ao Abbas Boufleur; Beth Beutfleur Espindola e ao casal Lugui e Marcia. Obrigada. Semana que vem tem mais.

01 agosto, 2011

FALANDO SERIO DE 27 DE JULHO

DNIT


O diretor-geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot, pediu exoneração do cargo na última segunda-feira. Pagot é o pivô de um suposto esquema para desviar verba pública do Ministério dos Transportes. A pasta é comandada pelo PR. Até agora, dezessete servidores e ocupantes de cargos comissionados foram afastados e exonerados. A novela continua.

LOUCO

O advogado do atirador que matou 76 pessoas no atentado em Oslo, disse acreditar que seu cliente esteja “louco”. O terrorista Anders Behring Breivik citou o Brasil pelo menos 16 vezes em um texto publicado na internet. As citações são pejorativas e racistas, alegando, por exemplo, que miscigenação de raças no Brasil gerou corrupção generalizada e conflitos étnicos que levarão o nosso País degradação total. Será que ele tem razão, apesar de louco? Ô louco!

LULLA

O ex-presidente Luiz Inácio Lulla da Silva encontrou um jeito de “voltar” a ativa. Ele agora vai percorrer o País definindo as alianças que o Partido da estrela tomará nas eleições municipais do ano que vem. Lulla já tem viajado pelo Brasil, percorrendo as principais cidades e articulando as alianças para o ano que vem. Para o ex-presidente, não há problema algum no sentido do PT realizar prévias para a escolha dos seus candidatos a prefeito. Aqui em Ponta Porã a parada deve ser dura, com pelo menos quatro candidatos a candidato.

INCRA

Ao que tudo indica o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA – está a pleno vapor na investigação de supostas irregularidades cometidas por assentados no Estado. Ao todo, pelo menos oitocentos lotes podem ser retomados pelo órgão, pelo fato de seus donos terem vendido a terceiros sua parcela de terra. O procurador do INCRA no Estado, Nézio Andrade disse que fiscalização termina na próxima sexta-feira e que as famílias terão um prazo para se defender das supostas irregularidades.

CAIU

A popularidade do prefeito de Campo Grande Nelson Trad Filho. Segundo pesquisa divulgada esta semana, a pesquisa apontou uma queda de dezesseis pontos no quesito aprovação da administração. Nelsinho disse que é um exagero de “fogo amigo” e que sabe pontualmente dos seus problemas. Ele tem enfrentado algumas dificuldades para administrar a capital.

BLITZ

As operações desenvolvidas pelas forças policiais aqui em Ponta Porã estão dando o que falar. Foram inúmeras motocicletas e veículos apreendidos. A chiadeira é total. O comércio está atribuindo a queda nas vendas pela impossibilidade dos seus compradores deslocarem-se até o centro. Porém, há que se considerar que para que o veículo, principalmente estrangeiro, não seja apreendido, deve estar com a documentação exigida por Lei, assim como o motorista deve estar habilitado. Transitando com a documentação em ordem e todos os equipamentos obrigatórios, ninguém terá o seu bem apreendido pela blitz. É o que diz a Lei.

OAB

Recebi Email da Secretaria Geral Adjunta da OAB 5ª Subseção, Dra. Adriana da Motta informando que: “Conforme Oficio nº 044/2011 recebido da Direção do Foro de Ponta Porã, informamos a todos os advogados (as), que será realizada a implantação do processo eletrônico nesta Comarca entre os dias 08/08/2011 e 26/08/2011.



Para tanto, se faz necessário ressaltar que os colegas que ainda não providenciaram sua certificação digital deverão buscar informações na sala da 5ª Subseção da OAB ou Associação Comercial desta cidade, pois depois de regularizada a implantação do processo eletrônico o peticionamento será também na forma eletrônica.”

AGRADECIMENTOS

Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna, em especial a competente secretaria da OAB e amiga de todos Nehde Hamer que festejará idade nova dia 02 de agosto. Obrigada. Semana que vem tem mais.

BONS AMIGOS

"Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!


Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!


Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!


Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!


Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!"

Texto de Machado de Assis enviado por Greziela Saldanha Sabino

O CASAMENTO NA POLICIA (publicado em 21/06/2011)

Artigo de Luiz Carlos Saldanha Rodrigues (Fonte: Midia Max)
EMENTA: o crime de sedução previsto no art. 217 do Código Penal, foi revogado pela lei 11.106, de 28.3.2005. Antes mesmo de sua revogação a doutrina já recomendava a sua não aplicabilidade em face de sua inconstitucionalidade.

A história que vou contar hoje se passou lá pelos anos 60, quando a juventude brasileira embalada pelo rock and roll de Elvis Presley, Chuck Berry, Beatles e Rolling Stones, reproduzia esse novo gênero musical com letras ambientadas em cenários brasileiros, fazendo surgir o movimento que passou a se chamar “jovem guarda”, representado, principalmente, por Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Wanderleya, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani, Rosemary, Sérgio Reis, Os Vips, Golden Boys, Ronnie Von e muitos outros, os quais foram os responsáveis pela sedimentação do rock no País. Novos cantores e novas bandas surgiram por todos os cantos do Brasil, que levavam a juventude ao delírio ao som de “quero que vá tudo pro inferno”, “estrada de Santos” e o “calhambeque”.

Como sabem, sou filho de Amambai, e na minha juventude participei de alguns movimentos estudantis, inclusive emprestando forças para a formação da primeira banda musical da cidade. Seus componentes: Cairo um gaúcho que aportou naquela cidade trazendo consigo uma guitarra; Teodorico que, posteriormente, tornou-se professor de violão e que dominava o contrabaixo; Alcindido Lemes, o “Xote”, considerado o rei da bateria; Dilmar, o “Ferreirinho”, com sua gaita encantada; “Zé do Couto”, locutor e apresentador de um programa de alto-falantes; “Orlandinho” que aprendeu tocar violão em apenas 30 dias; e, como toda banda, também tínhamos o nosso vocalista, o Agamenon que quando imitava Roberto Carlos, levava as fãs à loucura.

Zé do Couto, apresentava a banda, anunciando: “com vocês “Os King’s Night”; “Xote”, arrebentava, com sua bateria; logo vinha o Cairo solando sua guitarra, seguido pelo contrabaixo do Teodorico; entrava o violão do Orlandinho; Dilmar, o “Ferreirinho”, abria o fole de sua gaita encantada e Agamenon completava, cantando: “era um garoto que como eu, amava os Beatles e os Rolling Stones”. O povo aplaudia em pé e a festa só acabava no outro dia pela manhã. Não demorou muito para que nossa banda se tornasse um sucesso absoluto.

Agamenon, o nosso personagem de hoje, durante o dia era mecânico de profissão, andava todo engraxado, usando macacão de alças sem nada por baixo e uma velha camisa feita de brim azul. Durante a noite, depois de lavar as mãos com gasolina para retirar a graxa acumulada consertando carros velhos, se transformava no Roberto Carlos, encantando as noites de minha cidade natal, cantando “calhambeque” e para delírio das meninas “quero que vá tudo pro inferno”. Era craque também quando imitava Elvis Presley e os Beatles. O nosso Roberto Carlos, tal como o rei, também, era assediado pelas garotas e foi numa dessas noites que, aconteceu o que já era previsível, não suportando o assédio da filha mais nova de um casal conservador daquela cidade, cujo nome não menciono para evitar maiores constrangimentos, acabou “ficando” com ela e diante das blandícias envolventes, acabou mantendo conjunção carnal com a mesma. No amanhecer do dia, a jovem loucamente apaixonada, mais pelo timbre da voz do que pela figura do vocalista da banda que era meio desengonçado e só cantava na penumbra para ocultar um pouco a feiura, levou a conhecimento do pai que havia sido seduzida e havia perdido a virgindade, cuja autoria imputava a seu galã, imitador de Roberto Carlos e exigia que o pai fizesse com que o mesmo reparasse o mal pelo casamento. Aliás, tal procedimento já havia sido adotado pela filha mais velha do casal e que só não deu certo porque a ordem de soltura foi obtida em 24 horas e porque o autor do mal feito, um jogador de futebol egresso de Assunção, comprovou que tinha sido o décimo primeiro dos atletas moradores de uma república a experimentar da fruta proibida e ainda, porque, acabou casando-se com outra fã que lhe assediava nos campos esportivos da cidade.

Coitado do pai, mal amanheceu o dia e já estava na porta da Delegacia de Polícia para denunciar o acontecido: o vocalista da banda havia seduzido sua filha, aproveitando-se de sua inexperiência e dela retirando a preciosa virgindade. O delegado, ávido por uma ocorrência daquele porte, não teve dúvidas, estava diante de um caso que exigia pronta e rápida intervenção da autoridade, era preciso prender o indigitado autor do mal feito para obrigá-lo a casar-se com a jovem, não só para reparar o mal, mas sobretudo para que a honra da família fosse restabelecida.

Pronto, lá se foi o nosso “Roberto Carlos” para a cadeia, de onde somente sairia se casasse com a vítima do nefasto crime de sedução. A cidade viveu momentos de profunda comoção, eis porque, o suposto autor do mal feito, embora mecânico e imitador de Roberto Carlos, era tido por um bom moço e que sempre se mostrava respeitador e incapaz de cometer um crime, ainda mais daqueles contra a liberdade sexual que, na época, era punido com pena de reclusão.

O crime de sedução que era previsto no art. 217 do Código Penal, seduzir mulher virgem menor de 18 e maior de 14 anos e ter com ela conjunção carnal, aproveitando-se de sua inexperiência ou justificável confiança, era punido com pena de dois a quatro anos de reclusão e o casamento com a vítima era causa de extinção da punibilidade, tal como constava do art. 107, VII do mesmo diploma legal. Os dispositivos posteriormente, em 2005, acabaram sendo revogados.

O delegado “Jacinto” interrogava o nosso ídolo local com todo rigor, advertindo-o de que a pena que iria pegar era de até quatro anos de reclusão e que somente o casamento com a indigitada deflorada, seria capaz de livrá-lo da cadeia. O interrogando resistiu heroicamente cerca de quinze dias de pressão por parte da autoridade policial, mas quando os métodos de interrogatório passaram para os “científicos”, ou seja, “pau de arara”, “palmatória” e outros mais convincentes, para se livrar das dores e humilhações, acabou por concordar com a imputação prometendo casar-se com a seduzida. Correu o edital de proclamas pelo prazo de 30 dias, no final do qual foi marcada a data do casório, onde o pobre coitado, agora reduzido a um Waldik Soriano, cantando: “eu não sou cachorro não”, compareceu escoltado e algemado perante o cartório. Ali já o esperava a seduzida que estava vestindo um longo branco e na cabeça um véu que era segurado por uma grinalda, acompanhada por toda sua família, alguns amigos e muito curiosos. O oficial do registro civil leu a ata e o Juiz de Paz, para cumprir a solenidade do casamento, indagava: “é da sua livre e espontânea vontade casar-se com a senhorita fulana de tal ?”. Nosso ídolo, depois de esperar por alguns segundos, criando um suspense, acabou pronunciado um NÃO, desajeitado, fazendo com que o Juiz de Paz encerrasse a solenidade dizendo: “acabou o casamento, podem se retirar e conduzam o noivo para a cadeia”. A noiva seduzida, se derramava em prantos e lágrimas, os pais tentavam conformá-la e os curiosos comentavam o acontecido e se encarregavam de propagar pela cidade que o cantor da banda havia se recusado a casar-se com a seduzida, talvez porque não fosse mais virgem.

Na delegacia, o delegado jogava duro com o nosso ídolo local, mandava cortar os seus cabelos, não permitia visitas, salvo o pai da moça a quem permitia que viesse fazer ameaças, caso se recusasse novamente ao casamento com sua encantada princesa seduzida. Vai daí, que o nosso vocalista, não suportando mais as ameaças do pai da moça e a pressão da autoridade policial, acabava por afirmar que agora concordava com o casamento. Novos proclamas e mais 30 dias de cadeia até chegar a nova data para o casório. Novamente a expectativa era criada e cada vez mais curiosos compareciam para ver se o “cantor” iria dizer o SIM ou se iria dizer o NÃO.

O nosso “rei local”, agora também tinha seus torcedores e até em maior número que os amigos da noiva. O “turco João” apostava cem contra dez, que o noivo iria dizer “não” novamente. Seu conterrâneo, o “turco Naamã” liderava as apostas dizendo que a resposta seria “sim”. Muita gente jogava e a bolsa das apostas já estava bem alta. Até eu, que não gostava muito de apostar, “casei dez pilas” na resposta negativa. Chegava novamente o noivo, devidamente escoltado e algemado e quando foi indagado pelo Juiz casamenteiro, sobre sua livre vontade, eu que estava postado bem na sua frente, querendo ganhar a aposta, balancei a cabeça de forma negativa e o pobre noivo não perdendo tempo foi logo dizendo, NÃO, frustrando todas as expectativas e novamente sendo levado para a cadeia, onde iria aguardar o processo para, talvez, provar sua inocência.

A família inconformada com aquela situação humilhante, agora não se conformava apenas com a cadeia que o pobre imitador de Roberto Carlos, poderia levar, queria mais, queria vingança e para tal foi contratar um conhecido e temido “Justiceiro”, remanescente do bando de Silvino Jackes, a quem seria confiada a tarefa de obrigar o pobre cantor a casar-se com a jovem seduzida e caso não concordasse, a morte seria o preço pela desonra da jovem e de sua família.


Os integrantes da banda, inconformados com o infortúnio do vocalista, procuraram o presidente da Associação dos Estudantes Secundários de Amambai (AESA) e que, por acaso, era o autor deste conto, alegando que além de vocalista, também era estudante e merecia a proteção daquela associação, tal como era enfatizado no seu estatuto. Na época eu trabalhava em um cartório e já tinha algumas noções de Direito e sabia que a prisão era ilegal, quando não era efetuada em flagrante ou por ordem escrita de autoridade judiciária, razão pela qual, procurei o escrivão de polícia, meu amigo Alfredo Mariano, um paulista que ancorou seu barco nas barrancas do Rio Paraná, vindo para minha cidade a fim de concluir os ensinamentos básicos e que, algum tempo depois voltou para a capital paulista, onde cursou direito na PUC, ingressando por concurso público de provas e títulos na carreira do Ministério Público do Estado de Goiás, onde se aposentou como promotor, radicando-se no interior daquele estado, mas que, jamais perdeu os laços com a nossa cidade e todos os anos aparecia por lá e por aqui para rever os amigos. Pois bem, foi ele quem me forneceu uma certidão afirmando que não tinha sido lavrado nenhum flagrante contra o indigitado imitador do rei Roberto Carlos e muito menos a prisão tinha sido efetuada por ordem de autoridade judiciária pressupostos para uma prisão ser legal.

Agora o nosso ídolo não estava mais só, porquanto passou a ter a proteção de alguém que, se não era advogado, tinha vocação para essa atividade e, sem dúvida, seria colocado em liberdade, mediante o remédio heróico denominado “habeas corpus”, cuja garantia constitucional, em que pese a revolução de 64, continuava em vigor e era eficaz para por fim a qualquer constrangimento ou ameaça de constrangimento à liberdade de ir e vir de qualquer cidadão.

Na delegacia, aproveitando a ausência do delegado, o escrivão Alfredo Mariano, também sabedor de que a prisão se revestia de ilegalidade, permitiu que eu falasse com “meu cliente”. O pobre estava abatido, maltrapilho, com os cabelos cortados de forma desalinhada e ao me receber, se derramou em lágrimas para, por fim, acolher as minhas orientações: na nova data que seria marcada para o casamento deveria repetir o seu, NÃO, dando tempo para que “habeas corpus” fosse despachado pelo Juiz de Ponta Porã, o qual respondia pela recém criada Comarca de Amambai: “Aguenta firme colega (ambos éramos estudantes), não tenha medo porque logo o juiz vai mandar te soltar”. Ao sair, “meu cliente” estava mais conformado e havia me prometido que novamente iria bradar um, NÃO, e que desta vez seria definitivo. Como ele não tinha dinheiro para as despesas, procurei o “Turco João” e apostei mais vinte contra duzentos que a resposta seria negativa.

Elaborei uma petição de “habeas corpus”, cujo modelo me foi passado pelo advogado criminalista Giordano Neto, um dos maiores tribunos do Júri deste Estado e que esteve na minha cidade participando do primeiro julgamento popular, cuja história, contarei numa outra oportunidade e juntando a certidão que me foi passada pelo escrivão Mariano, distribui o remédio heróico.

O “habeas corpus” era processado no cartório do 1º Ofício, onde trabalhava meu primeiro orientador jurídico, Ramão Trindade, pai do meu afilhado Adilson Trindade, brilhante advogado e jornalista do Correio do Estado. Os primeiros despachos eram exarados pelo Juiz de Paz e a decisão proferida por um Juiz Togado (Juiz de Direito), quando a Comarca estivesse desprovida de titular. Assim por orientação do meu compadre Ramão, fiz carga do processo e lá me fui à procura do Juiz titular da Comarca de Ponta Porã. Depois de passar pelo crivo do Dorvalino, uma espécie de assessor e que ao me conduzir até a presença daquela autoridade judiciária, me dizia “tome cuidado, não chegue muito perto, o homem é uma fera” e abrindo a porta e me anunciou para o magistrado. Temeroso adentrei na sala das audiências, no piso superior do fórum da Rua 7 de Setembro daquela Comarca, onde fui recebido pelo temido e carrancudo Juiz Athayde Nery de Freitas, hoje Desembargador Aposentado, com quem tive o prazer e a honra de trabalhar, tempos depois, já aqui em Campo Grande, onde vim descobrir que “o leão não era tão bravo como pensava”. Naquele dia certamente ele estava de bem com a vida, eis que me recebeu com um largo sorriso, tratando-me com tanta delicadeza e respeito que, ao deixar o seu gabinete eu já estava decidido: um dia seria também um Juiz para ser igualzinho a ele. Pegou o processo, leu os fundamentos da impetração e examinou os documentos juntados e proferiu a decisão concedendo a ordem, mandando soltar o nosso Roberto Carlos, se por outro motivo não estivesse preso e ainda mandando servir de mandado a própria decisão que havia exarado.Tudo pronto, mas quando procurei a rodoviária para pegar o ônibus de volta, o mesmo já havia partido e embalde os meus acenos na beira da rodovia para pegar uma carona, tive que pernoitar naquela cidade para, no outro dia por voltas 14:00 horas pegar a condução que me levaria de volta, quando então, em cumprimento a ordem judicial, seria colocado em liberdade o pobre e infeliz vocalista e imitador de Roberto Carlos.

Mal sabia eu que naquela manhã, nosso ídolo local, meu colega estudante e meu “cliente”, seria novamente, encaminhado para o cartório, devidamente algemado e escoltado para que se efetivasse o casamento que iria lavar a honra da jovem seduzida e de seus familiares. Todavia, ele estava bem orientado e se isso acontecesse o combinado é que iria dizer, NÃO, novamente e não tardaria para ser colocado em liberdade. Ao sair da delegacia, ainda foi abordado pelo escrivão Alfredo Mariano que embora funcionário da polícia, tinha espírito legalista e não concordava com o chamado “casamento na marra”: “não case, diga, NÃO, que você vai ser solto pelo juiz”.

Pobre do nosso cantor, não contava e nem eu, com a presença do justiceiro “Crespo”, figura bizarra, que vestia uma capa preta, usava botas e esporas com rosetas largas e tinha na cabeça um chapéu de abas largas e que andava de um lado para outro, sempre arrastando as esporas no assoalho, fazendo um barulho como se quisesse chamar a atenção das pessoas. Por de baixo da capa, dizem, sempre trazia um revólver calibre 44 e uma escopeta “papo amarelo”, armas que naquele dia seriam usadas caso o indigitado noivo não reparasse o mal pelo casamento.

Meu protegido estava firme no propósito de não casar, mas quando viu a presença do justiceiro, começou a tremer parecendo que estava com maleita e como diria o Divo: “estava no mato sem cachorro”. Já não prestava mais atenção nas palavras do Juiz de Paz e sim no barulho das esporas do “Crespo” e ao ser indagado se era de sua livre vontade o casamento, quem respondeu foi o justiceiro que havia se postado bem atrás do pobre e infeliz noivo- “se falar, “não”, não “veve” mais um minuto na “facie” da terra”. O pobre noivo não pensou duas vezes e já foi dizendo, SIM, fazendo com que o juiz casamenteiro o declarasse marido da seduzida.

De volta na minha cidade, encharcado de vaidade por ter conseguido uma decisão judicial concessiva do “habeas-corpus”, fui procurar um oficial de justiça para cumprir a ordem de soltura. Já na delegacia fiquei sabendo que o pobre do vocalista mediante a ameaça feita pelo justiceiro “Crespo”, acabou concordando com o casamento.

Esse foi o mais perfeito “casamento na marra” ou “casamento na polícia” que se teve notícia por aquelas bandas.

E o que é pior, eu acabei perdendo o dinheiro da aposta. O nosso cantor, antes de abandonar a cidade, contou para os demais integrantes da banda sobre as torturas e suplícios que havia passado, sendo certo que, os mesmos, assediados pelas fãs foram se casando independentemente de qualquer pressão da família ou da autoridade policial. Assim foi com o guitarrista Cairo que assediado por minha prima Sonia, uma linda morena de olhos verdes, com ela casou-se, dizem, “de livre e espontânea vontade”, e abandonando a velha guitarra, foi procurar ouro na Serra Pelada; foi assim também com o acordeonista Dilmar, o “Ferreirinho”, que assediado casou-se com Sandra outra das minhas lindas primas e abandonando a gaita encantada, foi ser prefeito de um município do Estado do Amazonas. “Zé do Couto”, o apresentador, preferiu largar tudo e mudar-se para Rondonópolis, onde é funcionário público; “Xote”, o baterista, assediado por uma fã mais velha, casou-se, vendendo a bateria e mudando-se para Dourados onde mora até hoje, sendo considerado o “rei da gaita de boca”; “Orlandinho”, o rei do violão, irmão do meu amigo Ramão Elemar, hoje advogado militante em Amambai, também irmão do cabo Ivo, aquele que inventava disco voador e do Coronel Walmir dos Santos, também abandonando a banda, foi para o Rio de Janeiro de onde só voltou depois de ter certeza que não mais seria reconhecido pelas fãs. O único que nunca foi assediado foi o “Teodorico” que era uma mistura de feio com horrível e que, embora mestre no contrabaixo e no violão, sentindo-se “peregrino” na cidade, por muito tempo embrenhou-se nas matas, trabalhando como cozinheiro de contrabandistas de café, “comendo o pão que o diabo amassou”, até que prescrito os crimes, retornou para a cidade, onde até hoje é professor de violão.



Assim, a banda que era um sucesso, foi desfeita pelo assédio das fãs e pelo incomodo “casamento na marra” do nosso vocalista Agamenon que não suportando a “pressão” da autoridade policial e as ameaças do “Justiceiro Crespo”, acabou concordando com o casamento que nunca se consumou.



Muito tempo depois, tal como havia profetizado, fui ser juiz em Ponta Porã, ocupando a mesma sala onde, pela primeira vez me deparei com um Magistrado Togado e sabendo que Agamenon ainda vivia naquela cidade, num final de expediente, encomendei uns salgadinhos, uma torta e refrigerantes, coloquei um violão num canto e mandei trazer o desafortunado vocalista que, quando viu a festa organizada para ele, começou a chorar, me abraçando demoradamente sem conseguir pronunciar uma só palavra. Antes de sair da sala, agora já recomposto, pegou o velho violão e foi cantando a canção que havia lhe emprestado forças para suportar os momentos de angustia e solidão por que passou, nos quase cem dias que permaneceu preso na cadeia pública de minha cidade: “Jesus Cristo! Jesus Cristo! Jesus Cristo eu estou aqui- Jesus Cristo! Jesus Cristo! Jesus Cristo eu estou aqui- Olho na terra e vejo uma multidão que vai caminhando- Olho no céu e vejo uma nuvem branca que vai passando- Como uma nuvem branca essa gente não sabe onde vai- Quem poderá dizer o caminho certo é você meu pai- Toda essa multidão tem no peito amor e procura paz- E apesar de tudo a esperança não se desfaz- Olhando a flor que nasce no chão daquele que tem amor- Olho no céu e sinto crescer a fé no meu salvador- Jesus cristo! Jesus Cristo eu estou aqui! Em cada esquina vejo o olhar perdido de um irmão- Em busca do mesmo bem nessa direção caminhando vem- É meu desejo ver aumentando sempre essa posição- Para que todos cantem na mesma voz essa oração- Jesus Cristo! Jesus Cristo eu estou aqui. ” Ao se despedir, ainda limpando as lágrimas do rosto, com a voz um pouco embargada, disse: “não sabia que juiz também era gente”.


obs: qualquer semelhança é mera coincidência.

Autor: Luiz Carlos Saldanha Rodrigues.

Juiz de Direito Aposentado e advogado criminalista.



Ocorreu um erro neste gadget
Pesquisa personalizada
Ocorreu um erro neste gadget