20 junho, 2012

Falando Sério - 20 de junho/2012


GRÉCIA
A Crise na Grécia parece não ter fim e está estremecendo todas as economias em torno da zona do euro e pelo mundo afora. Com apenas dois bilhões de dólares em caixa, os laboratórios fabricantes de medicamentos não querem vender para o governo se não for à vista. Para tentar amenizar a crise, o governo deve fazer cortes dolorosos e nada agradáveis. É a tentativa de salvar o país da falência e o conseqüente efeito cascata.
INSEGURANÇA PÚBLICA I
Os comerciantes brasileiros, que trabalham com a venda de bebidas e lanches no período noturno, estão á mercê de assaltantes. Já houve dias em que foi feito um verdadeiro arrastão na Avenida Brasil. É melhor alguma autoridade competente tomar as devidas providências, antes que fique pior do que está.
INSEGURANÇA PÚBLICA II
Sinceramente, acredito que não tem como piorar, principalmente pelo fato de um freguês ter sido assaltado às 23h em um determinado bar e arrasado decidiu beber em outro lugar quando chegou o mesmo assaltante e lhe deu um safanão e uma tremenda bronca, desta feita deixando a vitima sem camisa e sem sapatos e bem avisado que já era hora de estar em casa, “ou não aprendeu ainda?”. O cara além de ser assaltado duas vezes na mesma noite, ainda levar uma “bronca” do marginal. Aí fica difícil!
LIXO
Moradores da região do grande Marambaia estão reclamando muito da secretaria de obras e infraestrutura, responsável pela coleta de lixo na cidade. È que a algum tempo atrás a coleta era feita duas vezes por semana e curiosamente, nas últimas, é feita apenas no sábado. Outra reclamação é que o caminhão de coleta sobe por uma rua e desce pela outra, contudo, a coleta não é feita nas transversais. A não ser que o morador acorde cedinho e saia correndo atrás do caminhão e peça “gentilmente” que coletem o seu lixo. Fala Sério!
POLÍTICA
O que teve gente dando informação “quente” a respeito da sucessão municipal durante este fim de semana não está escrito. Por conta das convenções partidárias e as conversações sobre coligações majoritárias e proporcionais, vamos dar um tempo no tema, aguardar que tudo seja definido e posto em pratos limpos. É uma forma de respeitar a inteligência do eleitor. E a minha também.
TRÂNSITO
Já faz um tempo que a Coluna Falando Sério vem abordando o assunto trânsito, porém, a cada dia que passa fica pior. Para quem tem que transitar nos horários de pico, é o fim do mundo. Um leitor me disse que, para ir da área central até o grande Marambaia, dia desses, levou vinte e cinco minutos. Era fim de tarde, transito de caminhões pesados, uma infinidade de motos e mais a saída de duas escolas pelo caminho. Segundo o leitor, tem que ter muita paciência para não ser mal educado no transito de Ponta Porã. Verdade, direção defensiva hoje e sempre.
SERÁ QUE PODE?
A gerente de um grande grupo empresarial paraguaio, de nome Tânia, resolveu mudar o marco divisório em frente ao seu estabelecimento, "un poco mas adelante”, para melhorar o acesso dos clientes no estacionamento. Chamou o pessoal da força e simplesmente derrubou o marco que divide Brasil e Paraguai. É muita falta de bom senso e/ou inteligência em uma pessoa só. Já pensou se fosse fácil “comer” cinco metros pra cá e pra lá?. Até teve autoridade que tentou intervir, mas já era tarde demais. Agora, como fica o marco destruído? No Brasil pode ser enquadrado como crime contra o patrimônio da União. No Paraguai? Bem, melhor não comentar.
AGRADECIMENTOS
 Agradeço aos leitores e colaboradores que são a razão do sucesso desta coluna em especial ao João Caetano, filhão da minha amiga Sandra Montiel Borba; Silvia Regina, competente funcionária do PAB da Caixa Econômica, na Prefeitura; Hedy Magalhães e Rosinha Mendes Gonçalves. Obrigada. Semana que vem tem mais.          

Rio + 20 , planejando o futuro, para mundo melhor.

Diariamente convivemos com questões importantíssimas, sobre a consciência ambiental e o desenvolvimento sustentável. A mídia noticia e alerta, as Ongs protestam e cobram, e o poder público até tenta se adequar a todas as questões relativas a estes temas, tão importantes para a vida de todos os seres. Mas o que ainda vemos, é uma sociedade que caminha a passos lentos para essas realidades tão importantes.

Em minha graduação em economia, aprendi que as necessidades humanas são ilimitadas, e nossos recursos contrariamente, são limitados. E o que fazer diante desta controvérsia?

É pensando nisto que a Organização das Nações Unidas, mais uma vez reuni o mundo, para tratar e alertar a população mundial. Vinte anos após a Eco 92, convenção realizada também no Rio de Janeiro, os lideres de todo mundo novamente se reúnem na cidade maravilhosa, para mais uma vez tentar salvar o mundo e o futuro das gerações humanas na terra.

Mas, como garantir a todas as pessoas do planeta, uma vida digna e com o acesso aos chamados bens básicos, como água, alimentos e energia, sem comprometer o bem estar das gerações futuras?

É tentando responder esta pergunta, que diplomatas e chefes de estado de 193 países estão reunidos na chamada, Rio + 20. Nesta conferência os países, tentarão negociar um acordo mútuo, que orientará a forma de como será o desenvolvimento mundial nas próximas décadas, pautados no desenvolvimento sustentável. 
 
A intenção da Rio + 20, é que tudo isto esteja em uma sintonia, afim de se criar uma Economia Verde Mundial. Uma forma de crescimento mundial, sem destruir o planeta. Os temas como produção de alimentos, desenvolvimento socioeconômico das cidades, produção de energias, abastecimento de água, desastres ambientais, oceano como fonte de transporte e captação de alimentos e a tão sonhada economia verde mundial, são os principais pontos as serem discutidos.

A ONU, tem por obrigação cobrar e fiscalizar se os países estão cumprindo todos os acordos firmados nesta convenção. É ai que bicho pega! Já se sabe que boa parte dos acordos firmados a 20 anos atrás na Eco 92, foram abandonados ou não cumpridos. Muitos países simplesmente ignoram os acordos quando é necessário, “botar a mão no bolso” para se adequar a tão sonhada economia verde. 
 
Na Rio + 20, não tem sido diferente. Principalmente os países europeus, que estão dificultando os acordos, pois temem que algumas medidas possam afetar e agravar ainda mais suas economias, que na atual conjuntura não estão nada saudáveis. Outra dificuldade grande para que toda esta questão do desenvolvimento sustentável, é a educação ambiental de cada cidadão. Não acontecerá mudança alguma, se nós continuarmos com os péssimos hábitos relacionados a esta questão, é hora de atentarmos que o futuro do nosso planeta depende muito de cada pessoa.

Portanto, antes de jogar aquele lixo no chão, de gastar água sem necessidade e tantos outros maus hábitos que temos, é preciso pensar que toda esta mobilização mundial depende também de cada um que vive no planeta, ou seja eu, você e todo mundo.

João Caetano - Músico/Compositor,
Conselheiro municipal de cultura,
Ativista do Greenpeace ,
líder da banda Surfistas de Trem,
Economista e colaborador do JR.

Comente, critique, opine !!!
Não se cale, pois quem cala consente.
E-mail: surfdetrem@yahoo.com.br

Ocorreu um erro neste gadget
Pesquisa personalizada
Ocorreu um erro neste gadget